Dados da Sondagem Indústria da Construção de outubro, divulgados nesta terça-feira (28/11) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), revelam as dificuldades que a indústria da construção tem enfrentado para se recuperar. De acordo com Sondagem, o indicador de nível de atividade manteve-se abaixo da linha divisória dos 50 pontos, apontando queda do nível de atividade do setor em relação ao mês anterior. Já o indicador de número de empregados, que também situa-se abaixo da linha divisória, intensificou seu ritmo de queda em outubro. Na comparação com o mesmo mês de 2016, contudo, ambos mostram crescimento, 6,9 e 5,4 pontos, respectivamente.

Os indicadores de nível da atividade em relação ao usual e utilização da capacidade de operação cresceram em outubro, mas ainda mostram que a indústria da construção opera abaixo do usual e com alta ociosidade. Ao mesmo tempo que os indicadores de expectativa apontam, em sua maioria, para estabilidade.

No entanto, o índice de confiança do empresário da indústria da construção e o índice de intenção de investimento cresceram pelo quarto mês consecutivo. O primeiro reflete que os empresários estão mais confiantes e o indicador encontra-se acima da média histórica, já o segundo mestra a intenção de investir está se recuperando, mas ainda em níveis muito baixos. A mostra da pesquisa foi realizada junto a 601 empresas, sendo 197 pequenas, 273 médias e 131 grandes, no período de 1º a 14 de novembro. Clique aqui para acessar a íntegra da pesquisa.

 

Fonte e Foto: CBIC