Na última quinta-feira, dia 19, foi realizada uma sessão solene, na Câmara Legislativa do DF, em homenagem aos construtores da cidade. Autor da iniciativa, o vice-presidente da CLDF, deputado Wellington Luiz (MDB) deu inicio a sessão solene.

Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1960. A data não fora escolhida ao acaso: o novo centro de decisões da República viria ao mundo oficialmente no Dia de Tiradentes, símbolo da luta pela independência e pelos valores republicanos no Brasil.

A solenidade transcorreu pela manhã em um tom de emoção, respeito e admiração aos homens e mulheres responsáveis pela construção da nossa Capital.

Para o deputado Wellington Luiz, o evento destaca a importância de se resgatar a história e enaltecer quem ajudou a fazê-la em cada caminhão de areia, cascalho, pedras e tijolos que edificaram Brasília e que nos transformaram em que somos hoje.

O deputado Raimundo Ribeiro (MDB) relembrou sua chegada a Brasília em 02 de fevereiro de 1967 vindo do Piauí, e sobre os primeiros trabalhos que desempenhou, desde muito novo, com muita austeridade. “Cada um de nós deve a está cidade, sua historia de vida e sua condição, porque apesar de tudo, Brasília ainda é a melhor capital e é exatamente com esse sentimento de gratidão e de dívida, que devemos trabalhar com muita seriedade para tentarmos reconstruir e refazer esta cidade, honrando o trabalho que os construtores idealizaram que começou do nada, apenas com um sonho!”.

O presidente da CLDF, Joe Valle (PDT) reforçou o reconhecimento aos pioneiros. “Os senhores são os construtores da maior realização do brasileiro, são os artífices dessa grande obra, que é Brasília”, disse.

Joe Valle ainda ressaltou a notoriedade que Brasília tem para o Brasil, especialmente no setor da construção civil, por ser a área que mais emprega no sentido do emprego direto, viabilizando a capital como um todo.

O presidente da Associação Brasiliense de Construtores – ASBRACO, Luiz Afonso Assad, em Brasília desde 1962, se emocionou ao ver pessoas que ele conheceu quando criança, serem homenageados tão merecidamente. “Nós só temos a agradecer por essa oportunidade de está aqui hoje laureando com alegria, os responsáveis pela construção da nossa cidade”.

Para Afonso Assad, o evento também é mais uma oportunidade para pensar em um futuro melhor para a capital. “Temos que pensar no futuro de Brasília! O setor da construção civil é a área que mais movimenta essa cidade. Com a crise, de um modo geral, tivemos que buscar por novas ações, soluções e parcerias para trazer de voltar o setor produtivo. Hoje, com o apoio da Fecomércio e da Federação das Indústrias poderemos desenvolver a cidade e gerar mais empregos”.

O presidente da Fibra, Jamal Jorge Bittar, também compôs a mesa e sintetizou a homenagem em uma palavra: justiça. “Sinto-me bastante satisfeito em ver tantas pessoas com retidão e que deram uma contribuição tão significativa a esta cidade sendo homenageadas aqui.”

Paulo Muniz, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI/DF) e presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal, bastante emocionado agradeceu pela oportunidade de participar de um belíssimo evento como esse e relembrou sua chegada a Brasília como apenas 2 anos de idade, em 1961. “Eu não tive o privilégio de nascer aqui, mas cresci com essa cidade, tenho muito da poeira vermelha de Brasília no meu sangue e dentro desse sonho e acreditando no trabalho que Juscelino Kubitschek fez que, desenvolveu não só o Planalto Central mais todo o País influenciando o desenvolvimento até o Norte e o Nordeste, nós não imaginávamos naquela época que conseguiríamos ter uma capital com 3 milhões de habitantes e que não vive mais exclusivamente do funcionalismo público, mas também da iniciativa  privada que vem prevalecendo e poderíamos prevalecer muito mais se a burocracia nos permitisse, isso tudo nos mostra o quanto Brasília é importante.”

Luiz Carlos Botelho, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil – Sinduscon, o maior mérito de Brasília foi transformar o mapa da ocupação da população brasileira: “era um País exclusivamente voltado para o Atlântico e de costas para seu interior”. Ainda lembrou que a construção da capital fora árdua, sob o pulso e o braço, e que as primeiras instalações de água e esgoto foram construídas na pá e na picareta.

O diretor regional do Serviço Social do Comércio – SESC, José Roberto Safir, ressaltou que o conceito “Construção de Brasília” é muito mais amplo que apenas edificar e que essa homenagem devem se estender àqueles que idealizaram e legislaram por uma Brasília melhor. Safir ainda lembrou que a entidade está entre os construtores de Brasília: “o SESC ajudou a edificar a cidade com educação, saúde e atividade social”.

Durante a cerimônia, foram exibidos vídeos com um resumo da história de vida de cada um dos homenageados, entre eles estavam: os irmãos Zequinha, Joaquim, Juarez e Orlando Roriz representados por familiares; Ailton Pereira de Almeida e Simão Sarkis; José e Edmon Baracat; Mário Lúcio de Souza Bastos; os irmãos empreendedores Ennius Marcus e Paulo Roberto de Morais Muniz da Conbral; Antônio Venâncio da Silva – in memorian; os fundadores da Construtora Villela e Carvalho, Creso Villela e Eduardo Villela e por último, o empresário e ex-vice governador do Distrito Federal, Paulo Octávio, que falou sobre a homenagem recebida, “Fiquei muito orgulhoso e feliz por estar aqui na Câmara recebendo uma homenagem tão bonita como essa. Não só por mim, mas por todos os meus funcionários, pois, na verdade, a homenagem é a todos eles”, completou.

Também estiveram presentes no evento, Cleber Roberto Pires, presidente da Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF, deputado Wasny de Roure (PT), ex-vice-governador Tadeu Filippelli, dentre outros.

A solenidade contou com a apresentação da Banda dos Fuzileiros Navais e ao fim da sessão, uma placa comemorativa foi entregue para cada um dos homenageados.

 

Fonte e Imagem: Assessoria de Comunicação ASBRACO