A Secretaria de Meio Ambiente é a executora do projeto que recebeu investimentos de cerca de R$ 53 milhões, fruto de contrato entre o GDF e o BNDES

As obras do Complexo de Reciclagem do Distrito Federal executadas pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema) foram visitadas por 75 alunos dos departamentos de Engenharia Civil e Ambiental, Elétrica, Florestal, Mecânica e de Produção da Faculdade de Tecnologia (FT) da Universidade de Brasília (UnB).

Considerado um dos mais modernos e estruturados do país, o complexo é composto por dois centros de triagem e reciclagem (CTR) e uma central de comercialização (CC) de materiais recicláveis, previstos para ser inaugurados em abril de 2020.

A visita ocorreu no âmbito da disciplina obrigatória de graduação ‘Higiene e Segurança do Trabalho’, dos cursos de engenharia da FT. “Nesse semestre todos os trabalhos dos alunos estão relacionados a temas de manejo de resíduos. A partir dessa experiência e de outras disciplinas, estamos montando um projeto de pesquisa e extensão na área”, afirma o professor Paulo Celso dos Reis Gomes. Ele explica que há, atualmente, mais de vinte grupos desenvolvendo projetos relacionados à coleta seletiva, triagem, comercialização e à saúde dos catadores.

Segundo ele, como o assunto tem sido abordado em sala de aula, houve uma participação muito boa na visita. “Os estudantes se surpreenderam com a “escala” das instalações, pois acreditavam ser mais simples e de menor porte. Durante a visita foi abordada a necessidade de que todos sejam protagonistas da coleta seletiva, de forma a garantir a sustentabilidade dos galpões”, disse.

Ele destaca ainda que a FT/UnB tem parcerias com instituições internacionais como a Universidade de Aalborg, na Dinamarca. E em breve serão firmadas parcerias com departamentos da Suécia e com a Associação Internacional de Resíduos Sólidos (ISWA).

Para o coordenador de implementação da política de resíduos sólidos da Sema, Glauco Amorim da Cruz, a parceria com a academia vai agregar valor ao trabalho que será realizado no complexo, que vai promover a inclusão produtiva dos catadores de materiais recicláveis por meio de 750 novos postos de trabalho. “Os projetos pensados pelos alunos serão de grande importância para potencializar e melhorar as atividades que serão realizadas”, afirma.

Tratamento

Os dois centros de triagem, com a metragem de 2.825,60 m² cada, serão destinados ao adequado tratamento da parcela seca dos resíduos provenientes da coleta seletiva do DF, maximizando o retorno de resíduos passíveis de reciclagem à cadeia produtiva da reciclagem do DF e do país.

Já a Central de Comercialização de Materiais Recicláveis receberá todo o material pré-selecionado para beneficiamento dos materiais advindos tanto da Central de Tratamento de Resíduos Sólidos (CTRS), quanto das demais cooperativas de catadores do DF pertencentes à Central das Cooperativas de Materiais Recicláveis do DF (Centcoop).

As atividades que serão desenvolvidas incluem a recepção dos resíduos sólidos secos, triagem, classificação, prensagem, armazenamento e comercialização dos materiais recicláveis advindos da coleta seletiva do DF, executada também pela Sema.

O complexo

O complexo fica na Vila Estrutural, próxima à Cidade do Automóvel, em área de 80 mil m². Fruto de contrato de colaboração firmado entre o GDF e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a obra conta com investimentos de cerca de R$ 53 milhões e é viabilizada pela Companhia Urbanizadora de Brasília (Novacap).  O Serviço de Limpeza Urbana (SLU), junto a cooperativas e associações de catadores, será a responsável por gerir e operar os espaços.

O GDF mantém, por meio do SLU, 29 contratos com cooperativas e associações, envolvendo 1.213 catadores de recicláveis que atuam na prestação de serviços de coleta seletiva e triagem.

Fonte e Imagem: Agência Brasília