O Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal (Codese-DF) promoveu, entre os dias 21 e 22 de agosto, um ciclo de debates para discutir as possíveis ações propostas em um documento entregue, anteriormente, a todos os candidatos, contendo sugestões e ideias de melhorias para a capital, intitulado como “O DF que a gente quer”.

O evento ocorreu no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB) e contou com a presença dos principais candidatos a governador do DF, general Paulo Chagas (PRP); Alberto Fraga (DEM); Fátima Souza (PSOL); Rogério Rosso (PSD); Rodrigo Rollemberg (PSB); Ibaneis Rocha (MDB); Eliana Pedrosa (PROS); Júlio Miragaya (PT) e Alexandre Guerra (NOVO).

Os diretores das Câmaras Técnicas tiveram a oportunidade de questionar e exaurir completamente o assunto sob o tema e propostas de cada candidato.

O documento “O DF que a gente quer” foi elaborado ao longo de um ano, com a participação voluntária de 240 empresários, técnicos, acadêmicos e sociedade civil organizada reunidos em 19 Câmaras Técnicas.  Com 445 páginas, o documento apresenta 542 ações estratégicas e 89 metas de natureza pública, para serem executadas a curto, médio e longo prazo (até 2030). Todas essas ações são passíveis de serem executadas e para garantir a sustentação e a continuidade de suas execuções, o Codese se propõe a ser um agente indutor de uma gestão pública transparente, eficaz, eficiente e continuada na implementação desta agenda.

Na visão do presidente do Codese, Paulo Muniz, em toda eleição, bons projetos são engavetados a partir do momento em que os governos mudam, como isso, inúmeras propostas de melhoria acabam desconsideradas. A elaboração desse documento visa justamente extinguir essa prática. “O que o documento propõe não se trata de um projeto de governo, para os próximos quatro anos, mas de um projeto de Estado. Contratamos consultores, fizemos levantamentos com base no Plano Plurianual do DF e buscamos projetos de governos anteriores, além daqueles que a própria Câmara Legislativa vê como necessários, tudo isso em prol de se manter a continuidade das metas estabelecidas”, explica.

Para o presidente da Associação Brasiliense de Construtores (ASBRACO) e gestor da Câmara Técnica Regiões Metropolitanas do Eixo Brasília – Goiânia e Ride, Afonso Assad, o principal assunto defendido pela Câmara é justamente a criação do Polo de Desenvolvimento do Eixo Brasília x Goiânia, que, deverá ser realizado em três etapas sendo: Santo Antônio do Descoberto – Samambaia / SAD – Outlet Premium / Outlet Premium – Goiânia. “A ideia é criar um polo de desenvolvimento que saía de Brasília à Goiânia, gerando empregos, pois essa região está em pleno desenvolvimento e necessita de ações que viabilizem e agreguem o crescimento do local, com a implementação das linhas férreas, pois atualmente temos somente a linha Luziânia-Brasília funcionando com transporte de cargas, porém é necessário habilitar também o transporte de passageiros. Hoje a RIDE precisa de um processo de gestão e governança único, com a possível criação de uma região Metropolitana por meio de uma PEC”.

 

Acompanhe o vídeo de cada candidato:

General Paulo Chagas (PRP)

Alberto Fraga (DEM)

Fátima Souza (PSOL)

Rogério Rosso (PSD)

Rodrigo Rollemberg (PSB)

Ibaneis Rocha (MDB)

Eliana Pedrosa (PROS)

Júlio Miragaya (PT)

Alexandre Guerra (NOVO)

 

Fonte: Comunicação ASBRACO

Imagem: Site ODFQUEAGENTEQUER