Orçada em R$ 10,1 milhões, via com 3,7 km de extensão terá função estratégica no caso de um incidente no Setor de Inflamáveis

As obras de construção da Rota de Fuga no Setor de Abastecimento e Indústria (SIA) começaram efetivamente no início desta semana. A empresa contratada finaliza, no momento, a montagem do canteiro de obras. E executa serviços de topografia e demarcação de área com estacas onde será executada a drenagem.

Orçado em R$ 10,1 milhões, o projeto prevê a continuidade das vias já existentes (IN-1 e IN-2), seguindo paralelamente à via férrea até o Conjunto Lúcio Costa – onde se incorporam à via marginal da Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Cada uma das duas novas vias terá duas faixas de rolamento (mão dupla), com 7 metros de largura, calçadas e ciclovia, numa extensão total de 3,7km.

“Esta obra trará segurança aos comerciantes e usuários do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA)”, comemora o Secretário de Obras, Izidio Santos Junior. Segundo o secretário, como o próprio nome sugere, a Rota de Fuga é um local estratégico e que deveria garantir segurança no caso de um incidente no lugar onde estão localizados, por exemplo, pontos de armazenamento e redistribuição de combustível.

 “Um incêndio no Setor, por menor que seja, é capaz de trazer consequências catastróficas para a Cidade Estrutural, Cidade do Automóvel, Cruzeiro, Octogonal, Lúcio Costa, Guará e Vicente Pires. Além disso, um incidente dessa natureza comprometeria o abastecimento de combustível e gás de cozinha na capital do país”, explica o subsecretário de acompanhamento e fiscalização de obras, Sérgio Lemos.

Fonte e Imagem: Agência Brasília