O segmento da construção civil no Distrito Federal foi designado como serviço essencial desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março deste ano. De fato, diversas estruturas precisaram ser criadas para o atendimento da sociedade e foi quando os profissionais de diversas modalidades encararam esse desafio. Nesta última terça-feira (12/05), o Crea-DF esteve no hospital de campanha no Mané Garricha e foi recebido pelos responsáveis da obra.

Mais de 100 trabalhadores estiveram envolvidos na estruturação do hospital de campanha no Mané Garrincha, onde trabalharam por três semanas, 24 horas por dia. Na gestão da obra, cinco profissionais estiveram envolvidos no projeto: engº. civil Armando Neto, engº. eletricista David Caldas, engº. eletricista e de segurança do trabalho Eduardo Junqueira, engº. civil Maurício Dias e engª. civil Sara Rodrigues. O Mané Garrincha abrigará 173 enfermarias, 20 leitos de UTI e 4 salas de emergência, divididos em três pavimentos, em um total de 6 mil m².

IMG 9707

Vencendo desafios técnicos e inseguranças

A engenheira Sara classificou a obra como icônica ao revelar que nunca pensou que um dia participaria da estruturação de um hospital em um estádio de futebol. Contou que teve de encorajar os trabalhadores e que todos se dedicaram ao máximo. “Às vezes foi difícil motivar os trabalhadores diante da insegurança e dos riscos de pegar a Covid-19. Tivemos também dificuldades para conseguirmos o fornecimento de alguns materiais, mas por fim tudo deu certo. Nós nos focamos no bem maior para a população e trabalhamos com a premissa: segurança, qualidade e resultado”.

O engenheiro Armando Neto afirmou que estamos vivendo um momento atípico e torce para que a situação acabe com um saldo de muitas vidas salvas. “No futuro poderei dizer aos meus netos que participei desse trabalho para atender a população e que isso salvou a vida de muitas pessoas. É uma obra que temos orgulho de ter feito”, destacou Armando.

O engenheiro Eduardo Junqueira explica que a parte elétrica do hospital foi uma das atividades que demandou mais atenção nos trabalhos. “A rapidez com que tínhamos que entregar a obra e o fato de trabalhar com uma subestação de 1.500 KVa requereu muita dedicação, a fim de evitar acidentes”, explicou Eduardo.

De acordo com a previsão do GDF, a partir da próxima semana será possível receber os primeiros pacientes no hospital.

IMG 9663

Outros hospitais de campanha no Distrito Federal

Com os índices de contaminação pelo coronavírus subindo semanalmente, outras obras de hospitais de campanha acontecem simultaneamente para atender a população do Distrito Federal. Citamos, até o momento, o hospital de campanha da Papuda – com 10 leitos de UTI e 30 leitos de enfermaria –  , o hospital no Centro Médico da Polícia Militar – com 20 leitos de UTI e 86 leitos de enfermaria – , o hospital de campanha de Ceilândia, que depois será o Hospital Materno-Infantil – previstos mais 60 leitos; além da ampliação do número de leitos no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) –  com a previsão de mais 26 leitos  – e a UPA do Núcleo Bandeirante – com mais 20 leitos disponibilizados.

Representaram o Crea-DF na vistoria do hospital de campanha no Mané Garricha a superintendente Técnica e de Fiscalização, Elizabeth Bastos, a gerente de Fiscalização, Clarissa Adami, o secretário de Relações Institucionais, Gilberto Campos e a coordenadora de Comunicação, Giselle Guedes.

 

Fonte e Imagens: CREA/DF