Variação positiva de 1,95% reflete reajuste salarial, conforme negociações da Convenção Coletiva entre Sinduscon-DF e Sindicato dos Trabalhadores

O mês de outubro registrou um Custo Unitário Básico (CUB) no valor de R$ 1.308,57, com variação positiva de 1,95%. “O aumento na variação, que se mantém positiva no comparativo dos meses anteriores, é reflexo das negociações do Termo Aditivo da Convenção Coletiva de Trabalho entre o sindicato patronal e o Sindicato dos Trabalhadores, encerradas em setembro. As tratativas resultaram em um aumento salarial de 2%, que está refletido no cálculo do CUB”, explica a gerente técnica do Sinduscon-DF, Janaína de Oliveira, acrescentando que também houve um aumento no valor de determinados insumos representativos na composição do custo.

O número é um importante indicador da construção civil. Ele é calculado, mensalmente, pelos Sindicatos da Indústria da Construção Civil (Sinduscons) de todo o país. O cálculo do Distrito Federal fica por conta do Sinduscon-DF, com base em dados fornecidos por empresas do setor.

O índice pode servir como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e como indicador macroeconômico da evolução de custos no setor. Por meio dele, é possível realizar o registro das incorporações imobiliárias. O CUB também é considerado, pela Receita Federal do Brasil, em Brasília, como base de cálculo para a emissão da Certidão Negativa de Debito (CND) de obras da construção civil, bem como é utilizado pela Caixa Econômica Federal e demais bancos atuantes no sistema de financiamento imobiliário.

O Sinduscon-DF reforça que, quanto mais empresas participarem, informando os dados para cálculo do resultado mensal do CUB/m², mais forte o indicador se torna, colaborando, inclusive, indiretamente, com a regulação de preços do mercado.

Em outubro, tanto o Custo Unitário Básico quanto o Desonerado apresentaram uma variação positiva. Confira:

CUB-DF/m² de outubro (R8-N): R$ 1.308,57 (variação positiva de 1,95%)
 
CUB-DF/m² Desonerado de outubro (R8-N): R$ 1.228,97 (variação positiva de 1,95%)

A metodologia usada no CUB-DF/m² Desonerado é a mesma do CUB-DF/m², com a ressalva de que o desonerado não considera a incidência dos 20% referentes à Previdência Social.

Vale ressaltar que, para se ter o valor real do metro quadrado de uma obra, além do CUB-DF/m², deve-se considerar os demais custos como, por exemplo: projetos, fundações, elevadores, instalações de ar-condicionado, impostos, taxas, entre outros.

Para obter este resultado mensal, o CUB-DF/m² inclui a avaliação de um grupo de materiais com 25 itens, além de mão de obra de servente e pedreiro; despesas administrativas referentes ao salário mais encargos sociais pagos ao engenheiro; e equipamento, representado pelo aluguel de betoneira.

O cálculo considera o padrão normal R8-N, referente à Residência Multifamiliar. Clique aqui e confira os demais projetos-padrões do mês.

Fonte: Sinduscon

Imagem: Internet