Na manhã desta última terça-feira (11), as entidades Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco), Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF) e a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-DF) receberam o presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa, para um encontro com o setor da Construção Civil para tratar sobre as novidades para o setor produtivo do Distrito Federal,  avaliação das perspectivas, inovações para o mercado imobiliário e criação de modalidades mais ágeis para o setor da construção civil com ênfase nos micros e pequenos empresários.

Este foi o 3º encontro, que ocorre anualmente, realizado na sede do Sinduscon-DF e contou com a participação de aproximadamente 50 empresários do setor.

Paulo Henrique, fez uma breve explanação sobre sua trajetória profissional até a posse como presidente do BRB e ressaltou a importância do trabalho em conjunto com as entidades e a abertura para o diálogo direto com os empresários. “Antigamente, tinha-se uma visão do BRB muito direcionada ao servidor público e nós entendemos que não existe espaço para um banco que seja apenas direcionado a este público e que precisamos, também, estar junto do setor produtivo”, afirmou.

O presidente do BRB ainda destacou as condições de financiamento, redução das taxas de juros, de 7,99% para 6,49% a.a e ampliação dos prazos, chegando, a 420 meses, com até 90% de financiamento do valor do imóvel, por exemplo.

Dentre outras novidades, Paulo Henrique falou sobre a criação de um novo sistema de Financiamento Digital, para avançar na parceria com o setor. “2019 foi o ano da retomada e nosso papel é estimular o mercado… Temos orgulho de dizer que já somos o banco mais rápido no crédito imobiliário do DF”. Além do BRB Energia, com taxas a partir de 0,92% a.m, “este produto é destinado ao financiamento de plantas de energia solar ou com energia fotovoltaica”, explicou o presidente do BRB, Paulo Henrique.

Para o presidente da Asbraco, Afonso Assad, eventos como esse são de extrema importância, promovem a troca de informação direta com o Banco, sem ruídos, agilizando as soluções necessárias e diminuindo a burocracia. “Com o recente anúncio do GDF, um pacote de obras previsto para 2020 e 2021 com aproximadamente 2 bilhões em investimentos em obras públicas, nossa preocupação são com as empresas de menor porte, precisamos ter um olhar diferenciado para estes empresários, que promovem a movimentação imediata da economia, por isso, essa novidade que o banco está trazendo, com a criação de limites pré aprovados para os micros e pequenos empresários se torna tão importante”, declarou Afonso Assad ao parabenizar o presidente do BRB pela iniciativa.

O presidente do Sinduscon-DF, Dionyzio Klavdianos, agradeceu a presença do presidente do BRB. “Brasília está indo para os 60 anos e a gente que nasceu e trabalha aqui tem muito orgulho de tudo o que é local, nada mais natural que pensemos em um dos poucos bancos regionais que restaram no Brasil. Se a gente o tem, é importante que nós, cidadãos empresários, o vejamos com bom acordo. É ótimo saber que temos nele um parceiro”, afirmou.

Para Eduardo Aroeira, presidente da Ademi-DF, a avaliação do encontro foi positiva. “Esse diálogo é importante para o setor, que voltou a crescer e gerar empregos no ano passado. Em 2020, vamos trabalhar para crescer mais e crédito é uma questão importante”, pontuou.

No encerramento, o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, agradeceu o apoio que o setor produtivo tem dado ao banco. “Contem com o BRB, um banco parceiro da construção civil, que está aqui disponível para construir soluções que apoiem o crescimento das empresas”, reforçou.

PRODUTOS NOVOS – O presidente do BRB apresentou um balanço da atuação do banco em 2019 e os planos para 2020. Segundo ele, o orçamento da instituição para o crédito imobiliário subiu de R$ 120 milhões para R$ 450 milhões, numa demonstração da importância do setor, e as taxas de juros foram reduzidas acompanhando o movimento da SELIC. “Em 2019, contratamos R$ 460 milhões, mais de 250% acima do registrado em 2018, e assumimos o segundo lugar no crédito imobiliário no DF”, disse Costa.

O executivo definiu 2020 como o ano da “reinvenção” do banco, com a aposta na expansão para outras praças e maior diversidade de produtos para pessoa física e jurídica. Em fevereiro, o BRB lançará uma linha de crédito indexada ao IPCA, implantará um projeto piloto para correspondente imobiliário e passará a atuar com home equity. O banco também prepara linhas especiais para financiar inovações, como energia solar e eólica. “O BRB entende a realidade local e quer construir soluções que apoiem a economia”, disse o presidente do banco.

*Com informações da Ademi-DF

Imagens: Acervo Asbraco