Este é o segundo ano em que metade do lucro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é distribuída entre os trabalhadores, cujo rendimento total fica acima da inflação. Para o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, o superávit significa uma grande conquista dos trabalhadores. Os dados foram divulgados no dia 14/08 pelo Conselho Curador do FGTS. “O Fundo, considerado um patrimônio dos trabalhadores, é fundamental ao aquecimento da economia, por meio da geração de novos postos de trabalho e renda. Além disso, contribui para o incremento de investimentos em habitação, bem como em áreas essenciais à população carente, como saneamento e infraestrutura urbana”, afirmou Baldy.

Cabe ao Conselho Curador do FGTS, juntamente com o Ministério das Cidades, direcionar os recursos voltados aos programas de governo, os quais se transformam em benefícios sociais para os cidadãos. Como gestora, a Pasta aloca valores em investimentos para obras de habitação, saneamento e infraestrutura urbana. Utiliza-os no Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV), segmentado em três faixas de renda para atendimento a famílias residentes em área urbana e rural: Faixas 1,5, 2 e 3. “Sem dúvida, a manutenção dos recursos do FGTS tem reflexos diretos no aquecimento da economia, na oferta de moradia digna e na prestação de serviços de qualidade à população”, acrescentou Baldy.

Para este ano, o orçamento aprovado pelo Conselho Curador destinado ao financiamento de projetos de habitação, saneamento e infraestrutura prevê que a habitação será o principal segmento contemplado, com R$ 69,47 bilhões: o equivalente a 81,23% do montante aprovado, da ordem de R$ 85,5 bilhões disponíveis.

Caso toda a previsão for utilizada, 528 mil pessoas poderão ser beneficiadas com financiamentos de moradias. Na sequência, infraestrutura urbana, com R$ 8,68 bilhões e saneamento básico, com R$ 6,86 bilhões, os quais poderão englobar 41,8 milhões de pessoas.

(Com informações do Ministério das Cidades)]

 

Fonte: CBIC

Imagem: Internet