Grupo visitará a capital Pequim, um dos maiores hubs mundiais de tecnologia; Xangai, considerada a capital das fintechs; e Hangzhou, cidade líder mundial em comércio eletrônico, onde está sediada a gigante Alibaba

Três das cidades que mais respiram inovação no mundo estão no cronograma da imersão que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizará entre os dias 22 e 26 de abril na China. O roteiro da missão, organizada em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, Apex-Brasil e StartSe, inclui visitas a empresas, startups e universidades em Pequim, Xangai e Hangzhou.

Empresários, acadêmicos e integrantes do governo interessados em participar da 15ª edição do Programa de Imersões em Ecossistemas de Inovação já podem se inscrever no site da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) – grupo coordenado pela CNI que reúne 300 das maiores empresas que atuam no país. A delegação será formada por até 30 pessoas, que terão contato com players do mercado chinês e poderão negociar possíveis projetos de cooperação e transferência de tecnologia.

“A China é o ecossistema de inovação que mais cresce no mundo. Essa imersão será diferenciada. Todos terão oportunidade de vivenciar o que há de mais moderno na agenda de inovação e visitarão os locais onde mais recursos vêm sendo investidos no setor”, afirma a diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio.

A programação começará pela capital chinesa, onde os participantes assistirão a seminário sobre o ecossistema de inovação da China. Na sequência, há uma série de visitas previstas, sendo as primeiras aos ministérios de Ciência e Tecnologia (MOST) e da Indústria e Tecnologia da Informação (MIIT). No segundo dia em Pequim, o grupo visitará a Didi, espécie de “Uber” da China, que se tornou a maior empresa de transporte privado do mundo e comprou a 99 no Brasil.

CAPITAL FINANCEIRA – A imersão também passará por Xangai, capital financeira e sede da maior bolsa de valores da China. A cidade é considerada uma das mais propensas a tornar-se o próximo grande polo de tecnologia mundial, podendo superar Nova York e Tóquio, segundo estudo da KPMG. A programação de visitas inclui uma ida ao SOSV, que atua com capital de risco e gestão de investimentos, ofertando programas em aceleradoras na Ásia, Europa e Estados Unidos.

Em Xangai, o grupo passará pela Dahua Tech – uma das grandes empresas do ramo de segurança que oferece soluções com inteligência artificial – e pela Huaxia Finance, fintech que atua no segmento de crédito pessoal. A programação inclui um happy hour com players locais em uma espécie de “smart café” onde comidas e bebidas são preparadas por robôs e, ainda, uma visita ao Zhangjiang High Tech Park, que abriga mais de 3.500 empresas e mais de 100 centros de P&D, com foco em áreas como tecnologia da informação e ciências da vida.

ALIBABA – A programação inclui, ainda, um dia inteiro em Hangzhou, capital e cidade mais populosa da província de Zhejiang, na China Oriental. A cidade, apontada como líder mundial em comércio eletrônico e sede de um terço dos websites de e-commerce chineses, sedia a Alibaba, maior plataforma de negócios online do mundo, também incluída no roteiro de visitas técnicas.

Ainda em Hangzhou, a delegação brasileira visitará a Dream Town, bairro inteiramente criado para fomentar o empreendedorismo tecnológico. O encerramento da imersão será em Xangai, em uma reunião no escritório do Banco do Brasil, onde o tema será o fluxo de recursos entre Brasil e China e as oportunidades naquele mercado.

 

Fonte e Imagem: Agência CNI