Codese-DF elege líderes para o triênio 2017/2019

Paulo Muniz, da Ademi-DF; e Luiz Carlos Botelho Ferreira, do Sinduscon-DF, foram eleitos presidente e vice-presidente do conselho, respectivamente - Foto: Cristiano Costa

 

Assessoria de Imprensa da Fibra

A Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra) sediou, na manhã da última quarta-feira (3), a 2ª reunião do Desenvolvimento Estratégico, Social e Econômico do Distrito Federal (Codese-DF). Na oportunidade, o conselho, ainda em fase de implementação, elegeu os membros da plenária e conselhos deliberativo, fiscal e executivo. Para o triênio 2017/2019 os presidentes da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-DF), Paulo Muniz, e do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF), Luiz Carlos Botelho Ferreira, foram eleitos presidentes e vice do Codese-DF, respectivamente.

O Codese-DF nasce a partir de uma iniciativa bem sucedida do estado de Goiás. No DF, reúne todo o setor produtivo com o objetivo único de auxiliar o Governo de Brasília no desenvolvimento de políticas públicas que se revertam no crescimento econômico e sustentável da capital federal, em médio e longo prazo.

Na oportunidade, o anfitrião e presidente da Fibra, Jamal Jorge Bittar, defendeu que os grupos de trabalho, bem como os membros do conselho trabalhem unindo esforços em busca de soluções para problemas enfrentados por todo setor empresarial, assim como pelo governo local. “O setor produtivo vai ajudar os poderes constituídos a buscar soluções para o desenvolvimento do DF. O grupo pode fazer diferença na sociedade sem politizar suas ações, fazendo lobbys honestos e fazendo à diferença”, sinalizou Bittar, na ocasião.

O presidente eleito do conselho, Paulo Muniz, disse que estar à frente deste grupo é um desafio. “Contudo, todo o grupo tem se mostrado unido e proativo. Temos muito a fazer para impulsionar o setor produtivo do DF”, disse.

Já Luiz Carlos Botelho Ferreira explicou que as expectativas para este ano são de entregar um planejamento a médio e longo prazo para a cidade. “Queremos contemplar ações públicas e privadas, bem como a questão da escolha de parâmetros de controle da execução desse planejamento. Teremos metas a serem atingidas, que serão paralelas às atividades governamentais”, afirmou.

 
Para Ferreira, o Codese-DF busca o desenvolvimento da cidade com um horizonte de trabalho nascente na Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), por meio do projeto “O Futuro da Minha Cidade”. “Nosso conselho já contempla mais de 50 entidades do DF. Quando estiver registrado e operando, queremos agregar ainda mais”, reforçou.
 
Grupos de Trabalho
 
Para dar celeridade à apresentação de propostas e resultados, o conselho criou 16 câmaras temáticas para tratar dos assuntos de interesse do setor produtivo, que devem ter de oito a 15 membros. No encontro desta quarta-feira, os membros do Codese também fizeram indicações para as câmaras.
 
São elas: Vestuário e Modas; Turismo, Hospitalidade e Gastronomia; Educacional; Tecnológico; Industrial; Logística e Distribuição; Saúde; Desenvolvimento Urbano; Gestão Pública; Cidadania; Negócios Agropecuários; Segurança; Cultura de Paz e Não de Judicialização; Energias Renováveis; Comércio e Serviços; e Regiões Metropolitanas do Eixo Brasília – Goiânia e Ride.
 
Criação do Codese-DF
 

 

Em abril, o grupo se reuniu na sede da Associação Comercial do DF (ACDF), quando aprovaram o estatuto, o endereço da sede fiscal, logo e modelo atuação do Cosede-DF, que é baseado no modelo adotado pelo estado do Goiás.
 
 
Membros da plenária e conselhos deliberativo, fiscal e executivo do Codese-DF são eleitos

image


image


image