O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) teve variação de 0,22% em dezembro, ficando com a mesma taxa verificada em dezembro de 2018 e 0,11 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de novembro (0,11%). Assim, o índice fechou 2019 em 4,03%, ficando 0,38 ponto percentual abaixo da taxa de 2018 (4,41%). Em dezembro de 2018, o índice havia sido 4,41%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em novembro ficou em R$ 1156,31, passou para R$ 1158,81, sendo R$ 605,54 relativos aos materiais e R$ 553,17 à mão de obra.

A parcela dos materiais apresentou queda de 0,13%, com uma diferença de 0,30 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,17%). Quando comparado com dezembro de 2018, com variação de 0,45%, a taxa mostrou queda de 0,58 ponto percentual.

Já o valor da mão de obra apresentou alta (0,59%), influenciado pelas altas observadas nos estados do Piauí e Minas Gerais, decorrentes de acordos coletivos. Esta taxa mostrou-se bem acima ao ser comparada com o resultado de dezembro de 2018 (-0,02%), quando se mostrou próxima da estabilidade.

O resultado acumulado no ano de 2019 registrou alta de 4,54% nos materiais, enquanto a parcela do custo referente aos gastos com mão de obra atingiu 3,47%. Em 2018, a parcela dos materiais fechou em 6,30% e a mão de obra, em 2,45%.

Sudeste tem a maior variação mensal e Sul tem a maior alta no acumulado do ano

A elevação na parcela da mão de obra de Minas Gerais, decorrente de acordo coletivo, levou o Sudeste a apresentar a maior variação regional em dezembro: 0,31%. Mas as regiões Nordeste (0,20%), Centro-Oeste (0,19%), Norte (0,17%) e Sul (0,02%) também tiveram altas. No acumulado do ano, o Sul registrou a maior taxa (5,64%), seguido pelo Sudeste (4,39%). Quanto aos custos da construção, os valores, em dezembro, por metro quadrado, foram: R$ 1169,45 (Norte); R$ 1067,68 (Nordeste); R$ 1208,86 (Sudeste); R$ 1222,66 (Sul) e R$ 1165,74 (Centro-Oeste). Entre os estados, o Piauí ficou com a maior taxa para o último mês do ano, 1,11%, influenciada pela alta de 3,86% da parcela da mão de obra, também decorrente de acordo coletivo das categorias profissionais.

Sinapi – Dezembro/2019 COM desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1158,81 579,96 0,22 4,03 4,03
REGIÃO NORTE 1169,45 582,72 0,17 4,22 4,22
Rondônia 1221,65 681,17 0,11 5,80 5,80
Acre 1287,76 683,51 0,58 4,37 4,37
Amazonas 1145,08 560,69 0,30 5,61 5,61
Roraima 1224,35 508,46 0,29 4,26 4,26
Pará 1155,05 553,68 0,06 3,77 3,77
Amapá 1132,01 549,91 0,20 3,99 3,99
Tocantins 1176,24 618,38 0,03 1,27 1,27
REGIÃO NORDESTE 1067,68 576,73 0,20 2,92 2,92
Maranhão 1115,34 587,57 0,08 4,47 4,47
Piauí 1101,61 732,09 1,11 4,41 4,41
Ceará 1066,04 615,76 0,40 2,96 2,96
Rio Grande do Norte 1040,49 524,49 0,07 1,54 1,54
Paraíba 1101,57 609,26 0,33 1,53 1,53
Pernambuco 1035,54 553,72 0,03 2,17 2,17
Alagoas 1044,39 521,85 0,06 2,17 2,17
Sergipe 987,88 524,95 0,29 1,91 1,91
Bahia 1067,63 565,16 0,10 3,18 3,18
REGIÃO SUDESTE 1208,86 578,84 0,31 4,39 4,39
Minas Gerais 1111,84 611,83 0,68 6,73 6,73
Espírito Santo 1051,20 583,07 0,24 3,75 3,75
Rio de Janeiro 1288,96 587,39 0,07 5,22 5,22
São Paulo 1247,81 563,67 0,22 2,86 2,86
REGIÃO SUL 1222,66 584,71 0,02 5,64 5,64
Paraná 1190,38 569,23 0,04 5,17 5,17
Santa Catarina 1331,05 720,99 0,01 6,66 6,66
Rio Grande do Sul 1172,42 532,13 0,00 5,33 5,33
REGIÃO CENTRO-OESTE 1165,74 595,12 0,19 3,68 3,68
Mato Grosso do Sul 1117,72 525,69 0,22 2,31 2,31
Mato Grosso 1147,49 654,64 0,02 1,88 1,88
Goiás 1160,53 613,10 0,28 5,83 5,83
Distrito Federal 1230,36 543,39 0,26 4,09 4,09
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

Sinapi – Dezembro/2019 SEM a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1243,83 622,22 0,24 4,00 4,00
REGIÃO NORTE 1249,01 622,47 0,16 4,21 4,21
Rondônia 1305,44 727,86 0,07 6,00 6,00
Acre 1375,76 730,20 0,54 4,40 4,40
Amazonas 1223,79 599,41 0,28 5,53 5,53
Roraima 1315,54 546,25 0,27 4,09 4,09
Pará 1232,41 590,50 0,05 3,74 3,74
Amapá 1208,02 586,66 0,18 4,04 4,04
Tocantins 1256,06 660,63 0,00 1,23 1,23
REGIÃO NORDESTE 1141,86 616,84 0,21 2,99 2,99
Maranhão 1190,63 627,41 0,07 4,40 4,40
Piauí 1176,77 781,81 1,28 4,61 4,61
Ceará 1137,46 656,49 0,37 3,13 3,13
Rio Grande do Norte 1110,51 559,61 0,07 1,43 1,43
Paraíba 1174,93 649,73 0,36 1,49 1,49
Pernambuco 1108,62 592,60 0,03 2,22 2,22
Alagoas 1116,92 558,12 0,06 2,33 2,33
Sergipe 1057,59 562,10 0,27 2,01 2,01
Bahia 1145,15 605,69 0,09 3,17 3,17
REGIÃO SUDESTE 1302,06 622,97 0,37 4,22 4,22
Minas Gerais 1193,08 656,28 0,83 6,73 6,73
Espírito Santo 1129,09 626,34 0,22 3,83 3,83
Rio de Janeiro 1391,14 634,34 0,07 5,03 5,03
São Paulo 1345,84 607,86 0,25 2,65 2,65
REGIÃO SUL 1317,60 630,02 0,01 5,63 5,63
Paraná 1285,93 614,95 0,01 5,10 5,10
Santa Catarina 1438,20 779,03 0,01 6,61 6,61
Rio Grande do Sul 1254,53 569,47 0,00 5,44 5,44
REGIÃO CENTRO-OESTE 1245,82 635,96 0,18 3,69 3,69
Mato Grosso do Sul 1196,78 562,37 0,23 2,52 2,52
Mato Grosso 1226,80 699,79 0,02 1,68 1,68
Goiás 1239,63 654,29 0,26 5,90 5,90
Distrito Federal 1313,57 580,16 0,24 4,18 4,18
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

 

 

Fonte: Agência IBGE

Imagem: Internet