Dados da Sondagem Indústria da Construção de setembro divulgados nesta quarta-feira (28) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), indicam que a  indústria da construção segue em ritmo de retomada, com avanço da atividade, do emprego e da utilização da capacidade.

A confiança dos empresários da construção se estabilizou em outubro, após uma série de altas que ocorria desde maio. Segundo o levantamento, os empresários seguem confiantes, porém em um nível inferior aos níveis pré-pandemia e os observados nesse mesmo período do ano passado.

Os índices de evolução do nível de atividade e do número de empregados mostram que o desempenho da indústria da construção manteve o ritmo de recuperação em setembro. O índice de evolução do nível de atividade atingiu 51,2 pontos em setembro, queda de 0,2 ponto em relação a agosto. Ainda que tenha apresentado uma ligeira queda, o índice está acima da linha divisória de 50 pontos pelo segundo mês consecutivo, indicando aumento do nível de atividade da indústria da construção na comparação com o mês anterior.

O índice de evolução do número de empregados, por sua vez, cresceu para 50,1 pontos no mês, alta de 0,6 ponto. É a quarta alta consecutiva do índice, que se afastou ainda mais da sua média histórica e passa a situar-se acima da linha divisória, confirmando o bom momento do emprego do setor. O índice é o maior desde abril de 2012 (quando alcançou 51 pontos).

Contudo, é importante ressaltar que as altas registradas no índice foram precedidas por fortes quedas observadas em março e abril, que haviam levado o emprego a um patamar muito baixo.

Além disso, destaca-se o avanço, entre os principais problemas da construção, da falta ou alto custo da matéria-prima. O problema se tornou o maior da indústria da Construção no terceiro trimestre de 2020, assinalado por 39,2% das empresas. No segundo trimestre, esse problema era apenas o 11º mais importante e foi assinalado por 9,5% das indústrias de construção.

O levantamento foi realizado entre os dias 1º e 14 de outubro junto a 461 empresas, sendo 170 de pequeno porte, 197 de médio porte e 94 de grande porte.

Veja a íntegra da Sondagem Indústria da Construção.

Fonte e Imagem: CBIC