As mulheres estão cada vez mais presentes na construção civil mineira. De acordo com levantamento do Sindicato da Indústria da Construção de Minas Gerais (Sinduscon-MG), com base em dados do Ministério do Trabalho e Emprego, em 2015, existem aproximadamente 27 mil trabalhadoras no setor. Com isso, a participação feminina em relação ao total de empregados do segmento é de 10% no mesmo período. Além do aumento da oferta de empregos, que tem atraído a mão de obra masculina para outros setores, a modernização da construção civil também ajuda a explicar a “invasão” feminina aos canteiros de obras.

Graças ao surgimento de novas formas de construir, o trabalho braçal tem sido substituído por processos mais industriais e tecnológicos, abrindo mais espaço para o “sexo frágil”.

A Precon Engenharia é um exemplo disso. Hoje, na empresa, em torno de 30% do seu quadro de funcionários é de mulheres, com destaque especial para a linha de produção da Fábrica. Isso se dá devido ao processo produtivo ser mais rápido, ergonômico, não demandar muita força física e pelas mulheres serem mais cuidadosas e atenciosas, o que aumenta a qualidade do produto. Além disso, a empresa busca sempre por melhorias das condições de trabalho para conseguir incluir cada vez mais mulheres na sua equipe.

Uma das mulheres que se destaca na empresa é a Welzeli Lana de Souza, que trabalha há cinco anos na Precon Engenharia como auxiliar de produção e hoje é lider de produção de fábrica, respondendo por uma equipe de mais de 50 pessoas, onde 18 delas são mulheres.

O mundo corporativo muda com o tempo, e uma das marcas mais significativas disso é o aumento da participação feminina no mercado. A sociedade patriarcal, juntamente com o estereótipo de família predominante até meados dos anos 50, com mãe dona de casa e pai provedor, contribuiu para a ausência da mulher no mercado de trabalho formal por décadas. A inserção do sexo feminino nas indústrias e empresas foi gradativa, e ocorreu principalmente pela condição econômica desfavorável do pós-guerra em todo o mundo.

O tempo passou, e hoje em dia elas não somente estão presentes no mercado de trabalho, como ocupam cargos tradicionalmente masculinos. Ainda há muito preconceito, mas as mulheres estão conseguindo se inserir e se destacar em áreas antes pouco povoadas pelo sexo feminino.

Fonte: Site TERRA