Destinar corretamente o lixo gerado em obras, indústrias e hospitais não é só responsabilidade ambiental das empresas, mas também é lei. E foi com base na Política Nacional de Resíduos Sólidos que uma startup de Belo Horizonte desenvolveu um software para facilitar todo este processo para as empresas e ainda ajudar a economizar em média R$ 40 mil. Trata-se da NetResíduos, que realiza o gerenciamento de resíduos para obras de construção civil, indústrias e hospitais.

Fundada em 2016, a startup foi acelerada pela Seed, do governo estadual, pela Fiemg, por meio do programa FiemgLab, pela Inovativa Brasil, do Ministério de Ciência e Tecnologia, e pelo Sebrae. Dessa forma, foi possível viabilizar o projeto, inicialmente pensado para atender apenas as obras e depois ampliado para as áreas da indústria e da saúde.

“Com o sistema de controle e gestão de dados e documentos relacionados aos resíduos gerados, a empresa tem total controle de tudo o que gerou, para onde foram os resíduos, quais eram estes resíduos, quem transportou, quanto custou, e toda a documentação referente ao processo. É um sistema 100% on-line que pode ser acessado por computador, celular e tablet”, explica um dos fundadores, Henrique Ribeiro.

Hoje, a empresa atende cerca de 50 clientes não só em Minas, mas em outros dez estados, e uma obra na República Dominicana. Para utilizar o software, o empresário aluga o sistema, no qual ele paga uma mensalidade a partir de R$ 199 para utilizá-lo, uma espécie de “Netflix” dos resíduos sólidos.

“Em uma obra que utiliza o sistema registramos uma economia média de R$ 40 mil, que pode ser sentida na redução do tempo de elaboração de relatórios, na análise, na melhoria do processo produtivo, na destinação dos resíduos”, conta Ribeiro.

Parceria – Firmada no início do ano, a parceria entre a NetResíduos e o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), tem como objetivo oferecer às empresas associadas condições especiais para a aquisição do software, o que deve atingir as cerca de 300 construtoras e aproximadamente 1000 obras em andamento. “Nossa objetivo é, segundo o diretor técnico ambiental do sindicato, a entidade conta com cerca de 300 construtoras associadas. “Nosso objetivo é chegar a 100% das empresas associadas e filiadas ao Sinduscon”, comenta Ribeiro.

Segundo o diretor técnico ambiental do sindicato, Fernando Fogli, a entidade vê a entrada da NetResíduos com bons olhos. “Além de a destinação correta dos resíduos ser uma exigência legal, é importante também para minimizar os impactos ambientais e gerar redução de custos nas obras. Hoje, o setor da construção civil é responsável por uma parcela significativa dos resíduos gerados, variando de 50% a 70% deste volume”, conclui.

Funcionamento – Para utilizar o sistema, o primeiro passo é realizar os cadastros incluindo a construtora (ou empresa de outro segmento), obras, transportadores e receptores, e todos os documentos relacionados. Sempre que algum documento estiver prestes a vencer, o usuário é alertado. A cada destinação de resíduo realizada pela obra, o registro é feito no sistema em menos de 30 segundos, eliminando o registro manual, planilha de Excel e geração de relatórios.

Após estes registros, o painel de controle é atualizado em tempo real, agrupando os dados em indicadores estratégicos automaticamente. Para alterar a abordagem ou o período de análise pode ser feita a qualquer momento e o sistema apresentará os dados agrupados em gráficos, tabela ou em uma listagem completa. Desta forma, reuniões de planejamento ou análise de desempenho, auditorias e fiscalização podem ser atendidas plenamente, evitando surpresas.

 

Fonte e Imagem: Diário do Comércio