Correalizado pelo Sesi Nacional, projeto avança em 20 cidades brasileiras. Primeira reunião do Fórum Nacional aconteceu em Goiânia, para troca de experiências

Projeto estratégico da indústria da construção, O Futuro da Minha Cidade está mudando paradigmas do relacionamento entre o cidadão e os setores organizados com a administração pública das 20 cidades onde foi implantado e já induz a adoção de medidas e projetos que terão impacto positivo no desenvolvimento econômico e qualidade de vida das pessoas. Desencadeado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) no ano de 2014, em correalização com o Sesi Nacional e patrocínio nacional da Caixa Econômica Federal, o projeto instalou um Fórum Nacional para a troca de experiências entre os municípios envolvidos, com vistas a disseminar boas práticas e enraizar a premissa de que é possível construir uma parceria positiva da sociedade com as prefeituras para fomentar o crescimento e a melhoria da qualidade de vida nas cidades. “Os mandatos passam, mas o cidadão fica. O exercício de cidadania que estamos fazendo aqui talvez seja o que o Brasil mais precisa nesse momento: diálogo”, afirmou José Carlos Martins, presidente da CBIC.

A primeira reunião do Fórum aconteceu em 31/10, durante workshop técnico organizado pela Comissão de Meio Ambiente (CMA) da CBIC na cidade de Goiânia (GO), onde dirigentes dos 10 Conselhos de Desenvolvimento Econômico em ação apresentaram um balanço de suas atividades, conquistas e planos futuros; trocando experiências entre si. Na abertura do encontro, que contou com a presença de autoridades, dirigentes e empresários do setor, o Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Goiânia (Codese) entregou ao prefeito Íris Rezende (PMDB) o projeto para execução das obras de revitalização da Praça do Trabalhador e conclusão do lado leste das obras da Avenida Leste Oeste. A parceria está formalizada em carta de intenções assinada pelo presidente do Codese de Goiânia, Euclides Barbo Siqueira, e o prefeito. ”A sociedade não pode se manter impassível e, nesse momento do país, o conceito de gestão compartilhada ganha relevância”, afirmou Siqueira. “Nós precisamos de um novo pacto social, em que a iniciativa privada seja parceira da sociedade e dos governos”.

O projeto doado pelo Codese de Goiânia, que custou R$ 1,4 milhão, é de grande importância para a capital e sua região metropolitana. A conclusão das obras da avenida Leste Oeste será realizada por convênio entre a prefeitura e o governo do Estado, com orçamento previsto de R$ 70 milhões. “Essa iniciativa extraordinária da CBIC é um divisor de águas nos centros urbanos. O Futuro da Minha Cidade é um projeto que traz um olhar pragmático e coloca a sociedade como protagonista do seu destino”, afirmou o prefeito de Goiânia. “Nós iniciamos um ciclo intenso de mudanças na capital e o Codese tem nos dado suporte”, acrescentou Rezende. Governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) participou de painel do workshop técnico, na parte da tarde, e confirmou o convênio com a prefeitura para o repasse da metade dos recursos necessários às obras. ““Há total disposição do governo estadual na relação com a Prefeitura de Goiânia e com todas as prefeituras goianas. Quem fez o projeto para a Leste-Oeste foi o Codese e essa será a grande primeira marca concreta no desenvolvimento econômico de Goiânia”, afirmou.

SOCIEDADE PROTAGONISTA – O workshop técnico de O Futuro da Minha Cidade levou ao auditório do Codese de Goiânia 10 representantes das cidades integrantes onde o projeto está implantado (Aparecida de Goiânia, Belém, Brasília, Campo Grande, Cascavel, Caxias do Sul, Goiânia, Manaus, Porto Velho e Uberlândia), além de outras cidades goianas, como Trindade, dirigentes e empresários da construção. Promovido pela CBIC, em correalização com o SESI Nacional e patrocínio nacional da Caixa Econômica Federal, o evento trouxe reflexões relevantes. Precursor da gestão compartilhada no Brasil e um dos expositores do workshop, o engenheiro Sílvio Barros, ex-prefeito de Maringá e consultor da CBIC, abordou a importância da atuação das entidades no diálogo com a administração pública.

Segundo ele, independente do impacto que já tenha causado, a iniciativa da CBIC de empoderamento da sociedade civil organizada, de nortear para onde as cidades devem se dirigir, é extremamente benéfica para o poder público. “Eu, que fui prefeito, posso afirmar que essa parceria com a sociedade nos ajudou a fazer de Maringá uma das melhores cidades do Brasil”, disse. Para Barros, as cidades são como pessoas, cada uma delas com personalidade e particularidades. “O modelo tem que ser reajustado à realidade de cada uma, sem necessariamente copiar uma da outra. É isso que estamos fazendo aqui hoje”, completou.

Fonte: CBIC