O Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), mostra que Informática e Logística e Transporte estão entre as áreas que mais vão exigir capacitação de técnicos na capital do País. O Distrito Federal terá de qualificar 118.688 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, de qualificação e de aperfeiçoamento de 2019 a 2023.

A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento de trabalhadores já empregados. Apenas 23% precisam de capacitação para ingressar no mercado. Nesse grupo estão tanto pessoas que vão ocupar novas vagas quanto postos existentes que ficarão disponíveis devido a aposentadorias, entre outras razões.

Além de subsidiar a oferta de cursos do Senai, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. “O estudo demonstra a importância da qualificação profissional tanto para conseguir uma oportunidade no mercado quanto para se manter nele. E, principalmente, que a pessoa precisa estar pronta para as novas profissões que vão surgir com o desenvolvimento tecnológico”, destaca o diretor regional do Senai-DF, Marco Secco.

Formação técnica

As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica no Distrito Federal serão Informática, Logística e Transporte, Energia e Telecomunicações, Transversais e Eletroeletrônica. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Cursos técnicos têm carga horária de 800h a 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos ou egressos do Ensino Médio. Ao término, o estudante recebe um diploma.

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Técnicos

Ocupações Profissionais a ser qualificados
Técnicos em eletrônica 3.388
Técnicos em operação e monitoração de computadores 3.041
Técnicos em transportes aéreos 2.917
Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações 2.569
Técnicos em telecomunicações 2.536
Técnicos em eletricidade e eletrotécnica 1.470
Supervisores da construção civil 1.339
Técnicos de controle da produção 923
Técnicos em transportes rodoviários 877
Técnicos em construção civil (edificações) 670

Qualificação profissional

Os cursos de qualificação são indicados a jovens estudantes ou a profissionais com níveis variados de escolaridade, de acordo com a ocupação, e buscam desenvolver novas competências e capacidades. O aluno recebe um certificado de conclusão. As áreas que mais vão exigir a capacitação de trabalhadores com esse tipo de formação, de acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, serão Construção (15.158), Logística (3.964), Energia e Telecomunicações (3.233) e Eletroeletrônica (1.460).

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Qualificação (+200h)

Ocupações Profissionais a ser qualificados
Padeiros, confeiteiros e afins 1.876
Instaladores e reparadores de linhas e cabos elétricos, telefônicos e de comunicação de dados 1.832
Mecânicos de manutenção de veículos automotores 1.826
Trabalhadores de instalações elétricas 1.372
Encanadores e instaladores de tubulações 1.220
Eletricistas de manutenção eletroeletrônica 1.161
Trabalhadores na fabricação e conservação de alimentos 839
Marceneiros e afins 749
Mecânicos de manutenção de máquinas industriais 582
Instaladores e mantenedores eletromecânicos de elevadores, escadas e portas automáticas 495

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Qualificação (-200h)

Ocupações Profissionais a ser qualificados
Ajudantes de obras civis 6.609
Motoristas de veículos de cargas em geral 5.027
Trabalhadores operacionais de conservação de vias permanentes (exceto trilhos) 3.060
Trabalhadores de estruturas de alvenaria 2.998
Alimentadores de linhas de produção 2.664
Magarefes e afins 1.988
Apontadores e conferentes 1.479
Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem 1.270
Trabalhadores de montagem de estruturas de madeira, metal e compósitos em obras civis 1.206
Trabalhadores na operação de máquinas de terraplenagem e fundações 846

Nível superior

No nível superior, as áreas de Informática, Construção e Gestão serão as que mais vão precisar qualificar profissionais no período de 2019 a 2023.

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Superior

Ocupações Profissionais a ser qualificados
Analistas de tecnologia da informação 20.331
Engenheiros civis e afins 2.654
Administradores de tecnologia da informação 1.598
Engenheiros eletricistas, eletrônicos e afins 978
Gerentes de tecnologia da informação 899
Arquitetos e urbanistas 570
Engenheiros de produção, qualidade, segurança e afins 467
Gerentes de produção e operações em empresa da indústria extrativa, de transformação e de serviços de utilidade pública 278
Engenheiros em computação 222
Gerentes de suprimentos e afins 188

Metodologia

O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores, que projetam o impacto sobre o mercado de trabalho e que estimam a demanda por formação profissional industrial (formação inicial e continuada). As projeções e estimativas são desagregadas no campo geográfico, setorial e ocupacional, e servem como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do Senai.

O diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, explica que conhecer as necessidades do mercado é fundamental para o planejamento da oferta de formação profissional. “O Senai é referência em educação profissional porque está alinhado com as necessidades da indústria e mantém seus cursos atualizados com o que existe de mais avançado em termos de tecnologia.”

O Modelo Senai de Prospecção permite prever quais serão as tecnologias utilizadas no ambiente de trabalho em um horizonte de cinco a dez anos. A metodologia já foi transferida a instituições de mais de 20 países na América do Sul e no Caribe. O método foi apontado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como exemplo de experiência bem-sucedida na identificação da formação profissional alinhada às necessidades futuras das empresas.

Para ver os dados nacionais do Mapa, acesse o link.

Fonte e Imagens: Agência CNI