Os casos suspeitos e confirmados de contaminação pelo novo coronavírus nos canteiros de obras tiveram quedas expressivas, de acordo com as construtoras entrevistadas na 14ª Pesquisa ‘Conhecendo as Ações das Construtoras Paulistas no Combate à Covid-19’.  As ocorrências suspeitas, que nas últimas rodadas da enquete semanal se situavam em torno de 2,7%, caíram para 1,2% do contingente de trabalhadores e os confirmados declinaram, de cerca de 1%, para 0,4%.

De acordo com os presidentes do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), Odair Senra,e do Serviço Social da Indústria da Construção (Seconci-SP), Haruo Ishikawa, o fato é animador, porém não pode motivar qualquer relaxamento das medidas de prevenção adotadas, como uso de máscaras, higienização constante das mãos e dos EPIS, e restrições a aglomerações.

Senra e Ishikawa chamam a atenção para a observância de detalhes, como a necessidade de lavar as mãos antes e depois de retirar as máscaras, evitar levar as mãos ao rosto e ao centro das máscaras, trocá-las quando estiverem úmidas e substituí-las quando gastas.

Nesta 14ª rodada, foram obtidas respostas de 41 empresas, responsáveis por 511 obras, envolvendo 34.368 empregos diretos e terceirizados, de 6 a 12 de agosto.

Principais resultados da 14ª Pesquisa:

  • 1,2% afastados por suspeita de Covid-19;
  • 0,4% afastados por confirmação da doença;
  • 506 obras em andamento e cinco paradas;
  • 96% do pessoal estão em atividade;
  • 100% das empresas adotam medição de temperatura e higienização das mãos, dão orientações diárias sobre prevenção, e higienizam e realizam demarcações em áreas de vivência;
  • 98% fornecem máscaras para o transporte, orientam sobre limpeza dos Equipamentos de Proteção Individual e afixam informativos impressos sobre a Covid-19 nos locais de circulação;
  • 93% fornecem máscaras para utilização na obra, realizam limpeza de EPIs e ferramentas e instituem horários escalonados para entrada, saída e refeições;
  • 91% realizam outras práticas para a prevenção da contaminação entre os trabalhadores e a comunidade;
  • 88% distribuem informativos eletrônicos de orientação.

Os presidentes do SindusCon-SP e do Seconci-SP reafirmam o convite para mais empresas com obras no Estado de São Paulo participarem das próximas rodadas da pesquisa; basta enviar um e-mail para pesquisacovid-19@seconci-sp.org.br e o Seconci-SP entrará em contato para incluir a construtora na enquete. As entidades garantem sigilo absoluto sobre as informações prestadas.

Veja o relatório completo das cinco últimas rodadas da pesquisa.

Veja o relatório completo das nove primeiras rodadas da pesquisa  ​​

Fonte e Imagem: CBIC