O estudo é conduzido em parceria pela Ademi-DF e pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (Sinduscon-DF), com apoio do Sebrae-DF


O Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de imóveis residenciais no Distrito Federal (DF) segue positivo, de acordo com a mais recente pesquisa que avaliou o desempenho das vendas no mês de julho. Naquele mês, o IVV médio foi de 6,1%. O setor imobiliário leva em conta que um IVV na casa dos 5% representa uma velocidade adequada para a venda de um empreendimento imobiliário. “A flutuação mês a mês das vendas é normal no mercado imobiliário”, explica Eduardo Aroeira, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF).

As vendas em julho vieram acompanhadas de uma pequena elevação no valor médio do preço do metro quadrado ofertado. “Temos vendido mais que lançado, e a oferta está caindo, o que gera uma tendência de alta dos preços”, explica o vice-presidente administrativo-financeiro do Sinduscon-DF, Adalberto Valadão Júnior. Até julho, foram lançados 19 residenciais novos, mas a oferta ainda é considerada baixa para o setor.

IVV RESIDENCIAL

A Pesquisa IVV acompanha, mensalmente, o ritmo de vendas de imóveis novos nas várias regiões administrativas do DF, considerando lançamentos e os em oferta. A amostra é bem expressiva, abrangendo aproximadamente 90% do mercado local (formado por cerca de 60 incorporadoras). As vendas dos imóveis são informadas pelas incorporadoras participantes da pesquisa, conduzida pela Ademi-DF e pelo Sinduscon-DF – Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF, com apoio do Sebrae-DF. A empresa Opinião Informação Estratégica é responsável pela coleta, tabulação e análise das informações, obtidas junto às empresas que aderiram voluntariamente ao projeto. Participaram do estudo de julho 29 das principais empresas atuantes no mercado imobiliário do DF.

DADOS DA PESQUISA IVV JULHO/2019

A pesquisa do IVV tem o objetivo de aferir os negócios de imóveis residenciais novos do DF e se a velocidade com que são vendidos está de acordo com as expectativas.

O gráfico da oferta de imóveis residenciais, comparativo desde que iniciou a pesquisa, em 2015 (a seguir), demonstra que a oferta cai há anos.

OFERTA DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS

No primeiro semestre de 2019, a oferta média está em 2.949 unidades. Em julho, foram ofertadas 2.789 unidades residenciais. Em 2018, a oferta média de imóveis residenciais novos no DF, entre as empresas pesquisadas, foi de 3.400, abaixo da média de 2017: 3.858 unidades.

Vendas de imóveis residenciais aceleram

Dentre as empresas que participaram da pesquisa do IVV, 72% ofertaram e 52% anunciaram que venderam imóveis novos em julho: 171 unidades residenciais. As quantidades de imóveis informadas se referem aos negociados pelas empresas participantes da pesquisa e não representam o total de imóveis em oferta ou negociados em todo o DF. Os percentuais informados podem ser projetados para representação de todo o mercado imobiliário do DF.

VENDAS DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS


Valor do m² imóveis residenciais

Entre várias informações do mercado imobiliário do DF, a pesquisa do IVV aponta a variação do preço ofertado por m² dos imóveis residenciais em cada região. Em julho, a Asa Norte registrou o maior valor de oferta: R$ 15.000,72; o mais baixo foi ofertado em Santa Maria – R$ 2.966,35.

Mercado imobiliário puxou o crescimento da construção no PIB

O crescimento de 0,4% da economia brasileira, no segundo trimestre de 2019, em relação aos primeiros três meses do ano trouxe otimismo. Segundo dados divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) o que puxou o resultado positivo foi o mercado imobiliário. As vendas de unidades residenciais no Sudeste subiram 33,5%, no segundo trimestre de 2019, em comparação com igual período do ano anterior. No Centro-Oeste, a alta foi de 22%. O Nordeste, por outro lado, apresentou queda de 17%.

“O cenário com juros baixos, inflação controlada e as novas condições de crédito imobiliário contribuem para fortalecer a construção nos próximos meses”, comenta o presidente da Ademi-DF, Eduardo Aroeira. O vice-presidente do Sinduscon-DF, Adalberto Valadão Junior, reforça que as expectativas são boas para o segundo semestre de 2019 e para 2020. “O número de lançamentos tem crescido, o setor tem empregado mais, o que reflete um aumento da confiança dos empresários”, destaca.

 

Fonte e Imagens: Sinduscon/DF