Empresário lutava contra um câncer. Ele chegou ao DF em 1956, determinado a participar da construção da nova capital

Faleceu, na noite desta terça-feira (6/10), o empresário Sebastião Valadares de Castro, 84 anos. Há 10 anos, ele lutava contra um câncer no fígado, tendo passado por diversas cirurgias e intervenções. Pioneiro em Brasília, ele deixa três filhos e a esposa, com quem foi casado por 64 anos.

“Quando meu irmão mais velho nasceu, nem hospital tinha aqui. Eles precisaram ir para Goiânia”, detalha Karla. Aqui, ele formou família e fez amigos. “Meu pai teve uma vida maravilhosa, não tenho dúvida. E foi embora sem sofrer, graças a Deus.”

Para a filha, ficam, para sempre, as lembranças no coração e na memória. “Dele, guardo o espírito aventureiro, amor ao próximo e a obra que construiu”, emociona-se Karla. Amor esse que motivou, em 2000, a fundação do Instituto Nair Valadares.

A instituição, localizada no Riacho Fundo, atende a crianças e famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade, promovendo a educação, a cultura, o esporte, a saúde e o lazer.

Em 1992, mostrou ao país que era bom de jogo, quando ganhou, sozinho, a Mega-Sena. A história, cercada de anedotas, ganhou as páginas do Correio Braziliense:

Por três dias, Tião como é conhecido, concedeu entrevistas para a mídia, sem sair do bar. Sobre ele há muitos relatos engraçados, como a vez em que perdeu no pôquer e preencheu um cheque universal (era aceito por todas as instituições bancárias) com o nome do Banco da Província da Paraíba, que nunca existiu. Surpreso, o credor comentou: “Já vi cheque sem fundo, mas sem banco, este é o primeiro”.

 

Fonte e Imagem: Correio Braziliense