É com imenso pesar que a Asbraco informa a recente perda do senhor Atahualpa Schmitz da Silva Prego, grande engenheiro, pioneiro na construção de Brasília, responsável pela construção da pista do aeroporto e pela cobertura asfáltica de boa parte da capital, além de ter participado da construção de vários outros pontos de Brasília, como o Catetinho. Aos 94 anos, o engenheiro faleceu em sua casa no Alto da Boa Vista no Rio de Janeiro (não foi por covid-19).

A construção do Aeroporto de Brasília se confunde com a figura de Atahualpa Schmitz, responsável pela construção da primeira pista do aeroporto de Brasília, bastante utilizado, na época, pelo Presidente Juscelino Kubitschek e para o recebimento de materiais para as obras da construção da capital.

Empregado da Companhia Metropolitana de Construções, especializada em obras de terraplanagem e pavimentação, Atahualpa aceitou uma proposta de trabalho em uma “região inóspita”. Após a construção do aeroporto, foi convidado para trabalhar na NOVACAP, empresa estatal criada para realizar as obras da nova capital. Se tornando presidente da Companhia durante a segunda metade de 1962, quando já havia trabalhado na execução de 7 milhões de m2 de pavimentos de todos os tipos em diversos estados brasileiros.

Conhecido por muitos como o dono do asfalto, pavimentou a Asa Sul do Plano Piloto, o lago Norte e a primeira aplicação de asfalto da avenida das Nações até o Palácio Alvorada. A partir de 1964, como engenheiro da Construtora Mendes Junior S.A. até dezembro de 1968, executou 600 mil m2 de pavimentos na área do Plano Piloto, na BR-020 até Planaltina e ministrou aulas no 1º curso de pavimentação do IPR-Instituto de Pesquisas Rodoviárias/DNER. Durante as décadas de 70 a 90, dedicou-se à construção de rodovias, ferrovias e aeroportos em vários estados brasileiros com destaque ao Rio de Janeiro e São Paulo.

Atahualpa Schmitz foi um dos maiores especialistas em história técnica de pavimentação no Brasil. Foi autor dos livros A memória da pavimentação no Brasil e Entrelinhas da Construção. Sendo pioneiro na criação e aperfeiçoamento de técnicas de pavimentação que hoje são ensinadas nas universidades.

A Associação sente perda deste homem de grande magnitude, que teve sua história entrelaçada com a de Brasília, com suas botas sujas dessa terra vermelha e as digitais de suas mães gravadas em quase todos os cantos desta Capital.

 

 

  • Com informações do site www.entrelinhasdaconstrucao.com.br e da Agência Brasília
  • Imagens: Agência Brasília