GDF assinou acordo com a Aneel para aterrar cabos de alta-tensão e começar a construção. PPP precisa passar por audiência pública e TCDF

Governo do Distrito Federal (GDF) conseguiu autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para aterrar 16 quilômetros de cabos de alta-tensão. A ação é necessária para tirar do papel o projeto da Avenida das Cidades, conhecida também como Interbairros e Transbrasília.

O termo de cooperação para Furnas fazer as intervenções foi assinado nesta quarta-feira (19/02/2020), na sede da Aneel, com participação do governador Ibaneis Rocha (MDB). O Buriti planeja construir a Avenida das Cidades dentro de parceira público-privada (PPP). A ideia é concluir o edital no segundo semestre deste ano.

A agência autorizou o aterramento de sete linhas de transmissão aéreas. Segundo o GDF, o valor estimado do investimento é de R$ 2,9 bilhões. Do total, R$ 1 bilhão será para o enterramento.

Se todas as licenças forem liberadas, a obra deve começar até 2022. A previsão é de pelo menos oito anos de trabalho. Segundo o GDF, a construção terá 26 quilômetros de via ligando Samambaia, Taguatinga, Águas Claras, Park Way, Guará e Plano Piloto.

Veja os mapas:

Ibaneis Rocha acredita que a obra vai impactar positivamente na mobilidade e no horizonte de desenvolvimento do DF. “Todo trabalho foi feito pensando na modernização de Brasília”, pontuou.

“Você une Brasília. Foi o sonho de JK unir Brasília em um projeto único”, assinalou o governador. A PPP passará por audiência pública e avaliação do Tribunal de Contas do DF (TCDF). O emedebista espera lançar o edital em até 120 dias.

Segundo Ibaneis, quanto ao trânsito, o projeto trará novas rotas para 400 mil motoristas.

Habitação e comércio

O empreendimento incluirá espaços para habitação, comércio e entretenimento. Também serão construídos 200 quilômetros de ciclovias, oito parques e 900 mil metros quadrados de calçadas.

Na fase de implantação, serão gerados 20 mil empregos, de acordo com o governo. Durante a operação, o número deve saltar para 80 mil.

O acordo também envolve linhas da empresa Vale do São Bartolomeu. Entre pontes, viadutos, elevados e trincheiras, estão previstas 35 obras e a plantação de 700 mil árvores.

 

Fonte e Imagens: Metrópoles