Skip to Content

Projetos de infraestrutura vão trazer demanda por grandes riscos em 2020

Apesar de boa parte das apólices já demonstrar certo crescimento no primeiro semestre, um desempenho mais forte da economia e uma revisão legal ainda são esperados pelo mercado

Os seguros de grandes riscos sentirão uma nova onda de crescimento a partir de 2020. A expectativa é que o melhor desempenho da economia e a aprovação da Previdência impulsionem novos projetos de infraestrutura e a maior demanda pelas empresas.

Segundo os especialistas entrevistados, as principais buscas pelo produto devem vir por meio das coberturas de garantia, responsabilidade civil e riscos de engenharia e de grandes obras.

“Esse mercado tem avançado pouco nos últimos anos. Mas nesse primeiro semestre já observamos um crescimento importante, principalmente vindo de garantias judiciais e D&O [seguros de responsabilidade civil para altos executivos]”, disse o diretor executivo de subscrição para a América Latina da Zurich, José Bailone.

Os últimos dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) apontam que, dentre os produtos relacionados, o maior crescimento vem por parte das coberturas relacionadas a riscos de engenharia, que mais do que dobraram (+151,6%) o volume em prêmios diretos em maio deste ano, ante igual mês de 2018, de R$ 18,2 milhões para R$ 45,8 milhões.

Em seguida, as apólices de D&O avançaram 73,9% na mesma comparação, de R$ 22 milhões para R$ 38,3 milhões, e os seguros multirriscos empresariais, com um aumento de 13,2%, de R$ 200,7 milhões para R$ 227,2 milhões.

Os seguros de garantia, um dos principais produtos relacionados a grandes riscos, por outro lado, ainda não sentiram os impactos do crescimento. “E isso se deve a dois motivos principais”, avalia o diretor de gerenciamento de risco da Marsh Brasil, Javier Duran.

“O primeiro é porque a grande maioria dos contratos ainda está vigente. O segundo é que, pela ausência de investimentos, também temos visto poucos projetos de grande envergadura no mercado. Seja pela situação fiscal do País, pela dificuldade de licenciamento e financiamento ou até mesmo pela ausência de projetos de engenharia de qualidade”, acrescentou o executivo.

As coberturas de garantia normalmente contemplam cinco ramos principais: garantias financeiras, judiciais, de obrigações públicas, de obrigações privadas e de concessões públicas. Em maio, conforme informações da Susep, as modalidades totalizaram R$ 39,8 milhões em prêmios diretos, um recuo de 95,2% frente ao mesmo mês de 2018, quando somavam R$ 829 milhões.

Para o diretor de infraestrutura da Marsh Brasil, André Dabus, ainda que essa queda seja normal ante o atual momento do País, alguns pontos legais também precisam ser revistos e avaliados.

“Vivemos uma abstinência de projetos de infraestrutura há muitos anos e é natural que o mercado tenha certa paralisia. Mas, nesse ambiente de reformas, um aspecto importante a ser analisado é a segurança jurídica. Sem a qual, o investidor privado não toma decisões”, ponderou.

Ele reitera que o primeiro passo foi dado com a revisão da lei das licitações e a ampliação dos percentuais de garantias nos contratos públicos, que foram de 5% a 10%, para um patamar entre 5% e 30%.

“Não é a mudança de um único aspecto da lei que dará a segurança jurídica, mas sim a revisão do arcabouço legal. Após a lei das licitações teremos também a estruturação das PPPs [Parcerias Público-Privadas]. É uma lacuna que não será preenchida do dia para a noite, mas que precisa de atenção”, acrescenta.

“A expectativa é de melhora já nesse segundo semestre, mas todos ainda estão esperando pelo que vai acontecer. O maior otimismo é para 2020”, completa Bailone.

Segurança digital

Outro produto visto com bons olhos pelos executivos entrevistados é o seguro de riscos cibernéticos, no mercado desde janeiro. Só neste ano até maio, a apólice soma R$ 4,8 milhões em prêmios diretos.

“Depois da LGPD [Lei Geral de Proteção de Dados], a procura pelo produto subiu bastante. É uma curva de crescimento que evoluirá conforme essa discussão se torne ainda mais evidente”, conclui Duran.

Fonte e Imagem: Portal DCI

LIKE0 facebookFACEBOOK twitterbirdTWEET

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

By submitting a comment you grant ASBRACO a perpetual license to reproduce your words and name/web site in attribution. Inappropriate and irrelevant comments will be removed at an admin’s discretion. Your email is used for verification purposes only, it will never be shared.