A diferença entre Arquitetura e Engenharia Civil pode ser entendida por uma atuação em conjunto no trabalho da construção de casas, prédios e obras públicas. O engenheiroacaba lidando com o aspecto mais técnico disso tudo, como o conhecimento sobre a resistência dos materiais e cálculos de estrutura. Já o arquiteto está mais voltado para a parte estética desses lugares e em tornar os espaços mais funcionais.

Enquanto o engenheiro é responsável por implantar o projeto, pensando na parte elétrica, hidráulica e estrutural, analisando as condições do solo, definindo o tipo de fundação e fazendo o cálculo de como devem ser vigas, colunas e lajes, o arquiteto planeja a utilização do espaço, projetando o tamanho de cada ambiente, o lugar mais indicado para as portas e janelas e a posição da iluminação.

As disciplinas aprendidas na faculdade também são distintas. No curso de Arquitetura, o aluno tem mais contato com as Artes e Humanidades, com algumas noções de Engenharia Civil e seus cálculos e projetos de estrutura. No curso de Engenharia Civil, o estudante tem uma grade curricular que explora bastante a Matemática e a Física.

Confira a seguir mais detalhes sobre esses cursos para identificar as diferenças entre eles.

Arquitetura e Urbanismo

O curso de Arquitetura e Urbanismo forma profissionais aptos a projetar e coordenar a construção de casas, prédios e espaços internos e externos, de acordo com a parte estética, funcional e de conforto. A formação permite que o arquiteto faça projetos e escolha os materiais que vão ser usados em uma obra, sempre levando em consideração aspectos como iluminação, acústica, ventilação e disposição dos objetos. A atuação acaba sendo em conjunto com o engenheiro, para acompanhar os trabalhos e gerenciar custos.

Principais áreas em que o arquiteto pode atuar

  •  Arquitetura de interiores: planejamento de reformas, determinação da disposição dos móveis e definição de cores.
  •  Paisagismo: desenvolvimento de espaços como jardins, praças e parques.
  •  Urbanismo: planejamento e organização do crescimento de cidades e bairros com a proposta do uso racional dos espaços públicos.
  •  Restauração de edifícios: recuperação de casas e prédios antigos, com a manutenção das características originais dos espaços.
  •  Edificação e construção: projeto e coordenação de obras, escolhendo materiais e analisando prazos e custos.

Como está o mercado de trabalho para os arquitetos

De acordo com o Anuário de Arquitetura e Urbanismo 2019, divulgado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, a profissão é hoje dominada por mulheres jovens, com menos de 40 anos. Outro aspecto interessante é que a maioria dos arquitetos, no Brasil, ainda está concentrada na região Sudeste, com um terço deles somente em São Paulo.

De uma forma geral, o mercado de trabalho na área de construção acompanha bastante a situação econômica do país. Por isso, se o momento for bom, o setor também vai estar aquecido. Já em tempos de crise, a quantidade de pessoas prontas para investir diminui, assim como as vagas.

Fonte: CAU – Anuário de Arquitetura e Urbanismo 2019

Projetos arquitetônicos e execuções de obras são as atividades mais realizadas por arquitetos e urbanistas no país. Os projetos representam mais da metade do total de trabalhos e serviços feitos, enquanto execuções chegam a um terço.

“Independentemente da dimensão de um projeto, o arquiteto se faz necessário para alcançar a maior satisfação, conforto e aproveitamento da iluminação e ventilação. Tudo isso, pensando-se antes de se construir. Quanto menor o projeto, maior é o quebra-cabeça para aproveitamento do espaço.” Ana Paula Calderaro, arquiteta

Outros dois campos de trabalho de destaque por causa de uma grande expansão nos últimos tempos são os de Engenharia de Segurança do Trabalho (22% de alta em 2018) e Meio Ambiente (14% de alta).

O salário médio de um arquiteto é de R$5.433,38 no Brasil, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados 2018 (Caged).

Como é o curso de Arquitetura

O currículo do curso de Arquitetura reúne disciplinas das Ciências Humanas e de Exatas. O primeiro semestre é voltado para aulas mais teóricas. A partir do segundo semestre, as aulas práticas começam, e isso envolve também o aprendizado do desenho arquitetônico também em softwares. Para concluir o curso, é necessária a apresentação de um trabalho final. O estágio é obrigatório. A duração média dessa formação é de cinco anos.

Engenharia Civil

As atividades de um engenheiro civil envolvem projeto, gerenciamento e execução de obras como casas, prédios, estradas, pontes e viadutos. O profissional é responsável por acompanhar construções ou reformas e analisar as condições do solo, de luminosidade e ventilação desses espaços. A parte de instalações elétricas, hidráulicas e de saneamento do edifício também ficam por conta dele, assim como a definição dos materiais que serão utilizados, o acompanhamento dos prazos e custos. É importante lembrar que ele também precisa garantir a segurança em todos esses trabalhos.

Principais áreas de atuação de um engenheiro civil

  •  Construção urbana: projetos, construções e reformas de prédios, shoppings, estádios e aeroportos.
  •  Hidráulica e recursos hídricos: projetos e obras de barragens, reservatórios e canais.
  •  Estruturas e fundações: projetos de fundações e estruturas que dão suporte às construções. Além disso, ele também calcula o material necessário para  a obra.
  •  Gerenciamento de recursos prediais: organização da infraestrutura de prédios e fixação de padrões de qualidade no uso do espaço.
  •  Saneamento: projetos e obras como redes de captação e distribuição de água e estações de tratamento de água e esgotos.
  •  Infraestrutura e transporte: construção de rodovias, viadutos, ferrovias, portos, metrôs.

Como se encontra o mercado de trabalho para o engenheiro civil?

Assim como a Arquitetura, a área de Engenharia Civil também acompanha a situação do mercado. A crise econômica vivida pelo Brasil nos últimos anos gerou uma desaceleração do setor.

Como a economia já mostra sinais de recuperação, a tendência é de que aumente a empregabilidade de quem está concluindo a faculdade.

O abastecimento de água e a área de energia prometem movimentar o mercado trazendo mais empregos também.

Atualmente, de acordo com o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), os homens dominam a carreira de engenheiro civil.

O salário médio do profissional da área é de R$6.605,22 no Brasil, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados 2018 (Caged).

Como é o curso de Engenharia Civil?

De uma forma geral, o curso conta com disciplinas na área de Exatas, como Administraçãoe  Economia, e desenho técnico. Depois do segundo ano, começam as disciplinas mais específicas de acordo com a especialização que se deseja seguir. O diploma é conseguido depois da entrega de um trabalho de conclusão de curso e do estágio obrigatório. A duração média da formação de um engenheiro civil é de cinco anos.

Um dos pontos importantes quando o assunto é o curso de Engenharia se refere ao fato de ele oferecer diferentes ênfases, dependendo da instituição. Por isso, fique de olho e pesquise bastante para fazer a sua escolha.

E você? Já pensou em fazer Arquitetura ou Engenharia Civil? Sabia dessas diferenças entre as áreas?

Fonte e Imagens: Portal Quero Bolsa