Prevista para terminar em 2025, obra vai gerar 2 mil empregos; área de 11 mil metros quadrados será sede das direções geral e setorial da corporação

LÍVIO DI ARAÚJO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: CHICO NETO

Com investimento de R$ 32,7 milhões e a expectativa de gerar 2 mil empregos, vai começar a construção do Anexo II do Quartel do Comando Geral (QCG) do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). Na manhã desta segunda-feira (9), foi lançada a pedra fundamental para a nova obra, durante cerimônia no Palácio Dom Pedro II, no QCG. O espaço vai centralizar os órgãos de direção-geral e setorial da corporação.

“Estamos lançando essa obra para as futuras gerações. Agradeço ao governador Ibaneis Rocha, que é um homem de ação, de visão”Coronel Bomfim, comandante-geral do CBMDF

Com entrega prevista para 30 de julho de 2025, o prédio terá uma área de pouco mais de 11 mil metros quadrados de construção. “Esta medida, além de favorecer os processos corporativos, repercutirá na qualidade dos serviços prestados à população – qualidade que, neste período, é evidente nas ações de enfrentamento à covid-19 e na prevenção e combate a incêndios florestais, com a operação Verde-Vivo 2021”, enfatizou o vice-governador Paco Britto, que representou o governador Ibaneis Rocha no evento.

Pedra fundamental do novo prédio: investimento de R$ 32,7 milhões na segurança do DF | Foto: Vinícius de Melo/Agência Brasília

De acordo com o comandante-geral do CBMDF, coronel Bomfim, o Anexo II será um legado à corporação. “Estamos lançando essa obra para as futuras gerações, mas lembro os ex-comandantes gerais do Corpo de Bombeiros que me deram a oportunidade de, hoje, materializar a construção”, disse o militar.

“Admiro o compromisso que os bombeiros trazem já em seu lema – ‘vidas alheias e riquezas a salvar’. Temos as melhores forças de segurança do país”Paco Britto, vice-governador

Segurança reforçada

A centralização em um único complexo permitirá a melhoria contínua dos processos da administração, proporcionando qualidade na comunicação e interação entre os setores, além de reduzir os gastos com o custeio da corporação. “Agradeço ao governador Ibaneis Rocha, que é um homem de ação, de visão”, complementou o coronel.

Um dos fundadores do Corpo de Bombeiros no DF, o coronel Paulo José, lembrou a história da construção do QCG, ao ressaltar a importância da nova construção. “Imaginem a minha emoção em 1964, ao chegar a Brasília e escolher o terreno onde seria construído o quartel”, declarou. “Hoje, a emoção é muito grande. Tenho uma enorme felicidade de ainda estar vivo e ver a grandeza do Corpo de Bombeiros do DF.”

Paco Britto reforçou: “Admiro o compromisso que os bombeiros trazem já em seu lema – ‘vidas alheias e riquezas a salvar’. Temos as melhores forças de segurança do país”. O vice-governador lembrou ainda que, recentemente, o governador Ibaneis Rocha promoveu mais de 400 bombeiros militares. “É cerca de 10% da tropa”, enumerou. “Esta importante ação, que envolve decisões técnicas e orçamentárias, é sinal de reconhecimento e valorização dos nossos heróis da vida real por parte do governo Ibaneis.”

Leia também

Áreas carentes vão contar com quartéis dos bombeiros

Foto: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

Três quartéis dos Bombeiros serão totalmente reconstruídos

Contratações

Durante o evento, o secretário de Economia, André Clemente, anunciou que, em 2022, estão previstas nomeações de 500 novos bombeiros para o DF. “Este é um governo que tem respeito pelas forças de segurança”, destacou. “Trabalhamos para recompor não apenas salários e efetivos, mas também a infraestrutura necessária das corporações.”

Para o próximo ano, o Fundo Constitucional do DF também será maior: passa de R$ 15,8 bilhões para R$ 16,2 bilhões, um acréscimo de 2,4%. “A previsão era de perda, mas o governo do DF conseguiu inverter a situação e conseguimos R$ 393 milhões a mais no orçamento”, informou o secretário. “Neste momento, isso é muito importante para que possamos continuar investindo na cidade.”