Implantar políticas públicas de Estado e planejamento estratégico na gestão; aplicar a Lei dos Resíduos Sólidos e do IPTU Verde; incentivar a recuperação das nascentes e mudar a infraestrutura e o regime tributário, compatibilizando a área econômica com a sustentabilidade, são algumas das propostas defendidas pelo senador e candidato ao Governo do Distrito Federal (GDF) Izalci Lucas (PSDB). Tais sinalizações foram apresentadas durante o Encontro com Candidatos ao Governo do Distrito Federal: Compromisso com a construção civil – Eleições 2022, promovido em conjunto pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF); a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF); e a Associação Brasiliense de Construtores na terça-feira (13/09), em Brasília, com transmissão ao vivo pelos canais oficiais do Sinduscon-DF e da Ademi DF no YouTube.

 

Segundo ele, seu plano de governo visa dar qualidade de vida e devolver a Brasília a esperança de ser a capital das oportunidades. “Faltam política pública de estado e planejamento estratégico em Brasília”, comentou Izalci, ao citar que durante a pandemia da covid-19, em conjunto com o Codese-DF, fez o ‘Repensar o DF’, fruto do projeto ‘O Futuro da Minha Cidade’, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), inspirado no modelo bem-sucedido da cidade de Maringá/PR,

 

Numa crítica à ocupação ilegal de áreas públicas e privadas, o candidato afirmou que a regularização fundiária foi aprovada no DF, mas não há acompanhamento e controle tecnológico e online das invasões na cidade. “Hoje há mais de 40 invasões em Brasília”, alertou. Em resposta ao presidente da Ademi DF, Eduardo Aroeira Almeida, o candidato Izalci Lucas disse que, se eleito, pretende de imediato regularizar o que está consolidado.

 

“Falta em Brasília uma política pública de estado de moradia. Temos problema de terra, desde a fundação da cidade. Tem terra que é da União, terra que é do GDF, terra particular e terras em comum”, disse, reforçando que a cidade tem que ser digital para acompanhar online a questão das invasões. Para acelerar a oferta de imóveis, também defendeu a criação de políticas públicas com a participação do setor da construção.

 

Meio Ambiente – Já sobre a questão do manejo de resíduos sólidos da construção civil, Izalci Lucas deu ciência ao presidente do Sinduscon-DF, Dionyzio Klavdianos, que foi diretor do Sistema de Limpeza Urbana (SLU) e que a Lei de Resíduos Sólidos é de sua autoria. O candidato informou que na cidade Estrutural há reaproveitamento do resto de material de construção para fabricação de tijolos, defendendo áreas de transbordo em todas as regiões administrativas do DF.

 

Sobre a Lei nº 13.303/2016 (Lei das Estatais), reforçou que é preciso prestigiar preço e técnica. “Não dá para fazer licitação e, no dia seguinte, já fazer um edital por falta de projeto. Não temos projeto. Perdemos milhões por falta de projeto qualificado”, ressaltou.  Ao presidente da Asbraco, Afonso Assad, Izalci Lucas afirmou que saneamento é fundamental, assim como o anel viário. Para isso, mencionou que precisa de um projeto bem elaborado, que não precise de aditivos. O candidato enfatizou que é totalmente contrário ao uso do pregão eletrônico nas licitações para contratação de obras e serviços de engenharia.

Sandra Bezerra
Assessoria de Comunicação do Sinducon-DF, Ademi DF e Asbraco

O evento foi transmitido ao vivo pelos canais oficiais do Sinduscon-DF e da Ademi DF no YouTube. Confira!

Link; https://youtu.be/jajmA1TwC4A