Desafios da mão de obra na construção civil

Um forte sinal de que a economia de um país vai bem é o crescimento do setor de construção civil. A indústria emprega milhões de pessoas, mas enfrenta diversos desafios relacionados à mão de obra. A escassez de profissionais qualificados é um problema crítico, influenciando em prazos, custos e a qualidade do projeto. 

Além disso, as condições de trabalho, os riscos à segurança, e a necessidade de adotar novas tecnologias também são obstáculos significativos para a gestão da área. 

Para superar esses pontos, é necessário investir em capacitação, implementar diretrizes de proteção e melhorar as condições do espaço laboral.

Neste artigo apresentaremos algumas dicas para te ajudar com a questão da mão de obra no canteiro.

Principais desafios enfrentados com mão de obra na construção civil

Confira abaixo 3 dos maiores desafios enfrentados pelas empresas do segmento:

Falta de qualificação

Em sua última pesquisa sobre o tema, a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) apontou que a dificuldade na contratação de pessoal qualificado ocorre em 82% das empresas.. 

Esse segmento é um dos maiores geradores de empregos do Brasil. No entanto, ele carece do fomento de capacitações e acesso a cursos para qualificar o grande número de trabalhadores que contempla. 

Melhorar a produtividade significa utilização inteligente dos recursos. Para isso, o investimento em treinamentos e capacitação de seus colaboradores é imprescindível. 

Automação de processos

Outro desafio está em inserir processos que elevem a produtividade no trabalho. O caminho para esse feito está em investir em novas tecnologias que tornem a execução de cada tarefa da obra mais rápida e de qualidade.

Do mesmo modo, os novos métodos e equipamentos utilizados nos canteiros de obra devem prover segurança para os trabalhadores. Ter um controle de entrega de EPIs é fundamental nesse contexto.

É possível aumentar a produtividade dos seus empreendimentos, gastando menos tempo, elevando a qualidade dos projetos e reduzindo custos de mão de obra, utilizando softwares e ferramentas de ponta para a área.

Pouca inserção feminina

Um relatório do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) sobre a distribuição de profissionais por gênero identificou que, entre as 1.112.381 pessoas ativas cadastrados, somente 221.629 são mulheres, representando apenas 19.92% do total. Mas esse cenário está aos poucos sendo transformado.

De acordo com o Painel da RAIS do MTE, baseado no ano de 2021, os cargos com carteira assinada ocupados pelo sexo feminino aumentaram em 6,88%. 

Outros dados desse relatório mostram que a participação de mulheres na construção civil em 2021 foi de 44,2%. Essa participação abrange diversos setores, desde escritórios de engenharia até ao canteiros de obras.

No entanto, ainda existem obstáculos para a inclusão no segmento. A desigualdade salarial é um desafio persistente no Brasil, afetando também o segmento construtivo. 

Como superar os desafios da mão de obra na construção civil?

Como vimos, existem desafios que precisam ser vencidos a respeito da mão de obra na construção civil. Por isso, confira abaixo dicas de estratégias e boas práticas para enfrentar esses problemas:

Investimento em capacitação profissional

O trabalho no setor ainda continua sendo associado ao pouco preparo de estudo. Isso gera um preconceito que não condiz com a realidade desse mercado. Na verdade, os profissionais da construção civil devem estar habilitados para as diversas normas e diretrizes do setor.

Para vencer esse desafio, as empresas devem focar na qualificação, oferecendo treinamentos de segurança e capacitação para as atividades realizadas no dia a dia, como trabalhos em altura, hidráulica e elétrica.

Dessa forma, contará com mão de obra cada vez mais especializada nas adversidades enfrentadas. Isso agrega à produtividade, padronização e qualidade dos empreendimentos.

Programas de retenção de talentos

Diante da escassez de mão de obra qualificada e da alta rotatividade, os programas de retenção de talentos buscam criar um ambiente de trabalho mais atrativo e vantajoso para os colaboradores. O objetivo não é apenas a atração, mas também a permanência e o desenvolvimento contínuo.

Ao investir nesse tipo de estratégia, a empresa aumenta a satisfação dos funcionários e reduz a taxa de turn over. Alguns recursos que ajudam com isso são: 

  • Planos de carreira; 
  • Remuneração competitiva; 
  • Melhores condições laborais;
  • Políticas de reconhecimento.

Além disso, vale investir na promoção de uma cultura inclusiva e diversificada. É preciso valorizar as contribuições individuais independentemente de gênero, etnia ou origem. Assim, é possível não só atrair um conjunto mais amplo de profissionais, mas também melhorar a pluralidade de ideias dentro da companhia.

Melhorias nas condições de trabalho

As condições dos canteiros muitas vezes são desafiadoras e com vários riscos para os funcionários. Por isso, oferecer um ambiente mais seguro, saudável e confortável responde às preocupações da mão de obra. Além disso, também demonstra um compromisso com o bem estar e o desenvolvimento da equipe.

Proporcionar horários flexíveis, oportunidades de crescimento na empresa e treinamento contínuo pode estimular o engajamento dos colaboradores. Ao valorizar a capacitação técnica e a promoção de competências atualizadas, a indústria pode se tornar mais atraente para jovens profissionais e os que buscam se manter ativos no mercado.

É crucial compreender que a mão de obra é a base da indústria da construção civil. Por isso, o investimento em sua capacitação e bem-estar é um investimento no próprio sucesso do setor. 

Ao valorizar os trabalhadores, proporcionando condições adequadas, planos de carreira e reconhecimento pelo seu esforço, estamos contribuindo diretamente para a construção de um futuro mais sustentável e inovador.

Fonte: Mobuss Construção