Skip to Content

Blog Archives

ESPAÇO PARA EVENTOS

 Seja bem-vindo! A Asbraco tem um espaço para eventos com localização privilegiada, no Setor Sia. Com fácil acesso, próximo dos principais pontos de referência da cidade, nossa localização é um item a mais que contribuirá para o sucesso de seu evento.
Agende seu orçamento: asbracodf@gmail.com

READ MORE

CANDIDATO AO GDF, IZALCI LUCAS PROMETE APLICAR LEI DOS RESÍDUOS SÓLIDOS E IPTU VERDE NO DISTRITO FEDERAL.

 

 

Implantar políticas públicas de Estado e planejamento estratégico na gestão; aplicar a Lei dos Resíduos Sólidos e do IPTU Verde; incentivar a recuperação das nascentes e mudar a infraestrutura e o regime tributário, compatibilizando a área econômica com a sustentabilidade, são algumas das propostas defendidas pelo senador e candidato ao Governo do Distrito Federal (GDF) Izalci Lucas (PSDB). Tais sinalizações foram apresentadas durante o Encontro com Candidatos ao Governo do Distrito Federal: Compromisso com a construção civil – Eleições 2022, promovido em conjunto pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF); a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF); e a Associação Brasiliense de Construtores na terça-feira (13/09), em Brasília, com transmissão ao vivo pelos canais oficiais do Sinduscon-DF e da Ademi DF no YouTube.

 

Segundo ele, seu plano de governo visa dar qualidade de vida e devolver a Brasília a esperança de ser a capital das oportunidades. “Faltam política pública de estado e planejamento estratégico em Brasília”, comentou Izalci, ao citar que durante a pandemia da covid-19, em conjunto com o Codese-DF, fez o ‘Repensar o DF’, fruto do projeto ‘O Futuro da Minha Cidade’, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), inspirado no modelo bem-sucedido da cidade de Maringá/PR,

 

Numa crítica à ocupação ilegal de áreas públicas e privadas, o candidato afirmou que a regularização fundiária foi aprovada no DF, mas não há acompanhamento e controle tecnológico e online das invasões na cidade. “Hoje há mais de 40 invasões em Brasília”, alertou. Em resposta ao presidente da Ademi DF, Eduardo Aroeira Almeida, o candidato Izalci Lucas disse que, se eleito, pretende de imediato regularizar o que está consolidado.

 

“Falta em Brasília uma política pública de estado de moradia. Temos problema de terra, desde a fundação da cidade. Tem terra que é da União, terra que é do GDF, terra particular e terras em comum”, disse, reforçando que a cidade tem que ser digital para acompanhar online a questão das invasões. Para acelerar a oferta de imóveis, também defendeu a criação de políticas públicas com a participação do setor da construção.

 

Meio Ambiente – Já sobre a questão do manejo de resíduos sólidos da construção civil, Izalci Lucas deu ciência ao presidente do Sinduscon-DF, Dionyzio Klavdianos, que foi diretor do Sistema de Limpeza Urbana (SLU) e que a Lei de Resíduos Sólidos é de sua autoria. O candidato informou que na cidade Estrutural há reaproveitamento do resto de material de construção para fabricação de tijolos, defendendo áreas de transbordo em todas as regiões administrativas do DF.

 

Sobre a Lei nº 13.303/2016 (Lei das Estatais), reforçou que é preciso prestigiar preço e técnica. “Não dá para fazer licitação e, no dia seguinte, já fazer um edital por falta de projeto. Não temos projeto. Perdemos milhões por falta de projeto qualificado”, ressaltou.  Ao presidente da Asbraco, Afonso Assad, Izalci Lucas afirmou que saneamento é fundamental, assim como o anel viário. Para isso, mencionou que precisa de um projeto bem elaborado, que não precise de aditivos. O candidato enfatizou que é totalmente contrário ao uso do pregão eletrônico nas licitações para contratação de obras e serviços de engenharia.

Sandra Bezerra
Assessoria de Comunicação do Sinducon-DF, Ademi DF e Asbraco

O evento foi transmitido ao vivo pelos canais oficiais do Sinduscon-DF e da Ademi DF no YouTube. Confira!

Link; https://youtu.be/jajmA1TwC4A

 

READ MORE

CANDIDATO, IBANEIS ROCHA ASSUME COMPROMISSOS COM SETOR DA CONSTRUÇÃO

 

 

Desburocratização, reequilíbrio financeiro dos contratos de obras públicas, investimento em novos projetos de infraestrutura e conclusão de obras em andamento e modernização de marcos regulatórios com vistas à maior segurança jurídica. Essa é a síntese dos compromissos com a indústria da construção sinalizados pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), candidato a reeleição para o governo do Distrito Federal, para um eventual segundo mandato. “Vamos desenvolver um grande projeto para a cidade, seja na área educacional, de saúde, que beneficiará todas as empresas do ramo, desde as pequenas até as grandes empresas, em um ambiente de negócio salutar e com transparência e pagamentos em dia”, afirmou.

 

A mensagem conciliadora foi transmitida durante o Encontro com Candidatos ao Governo do Distrito Federal: Compromisso com a construção civil – Eleições 2022, promovido em conjunto pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF); a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF); e a Associação Brasiliense  de  Construtores nesta terça-feira (13/09), em Brasília, com transmissão ao vivo pelos canais oficiais do Sinduscon-DF e da Ademi DF no YouTube.

 

Mediado pelo consultor político Marcelo Moraes, o evento ouviu as propostas de quatro dos seis candidatos mais bem colocados nas pesquisas de opinião. Por motivo de agenda, as candidatas Keka Bagno e Leila declinaram do convite. Atendendo a ordem fixada por sorteio, Ibaneis foi o primeiro a se pronunciar. Na abertura, os presidentes das entidades reforçaram que a pandemia da Covid-19 mostrou a importância da construção civil, que manteve e gerou novos empregos formais durante a crise sanitária. A indústria contribuiu com 3,9% do PIB do DF e a construção civil é o seu maior componente, com 52%, o que equivale a R$ 4,9 bilhões. “Quando a construção civil vai bem, a economia também vai bem, mas o contrário também acontece”, salientaram.

 

Ibaneis destacou que o Distrito Federal saiu de um patamar de quase zero de obras de infraestrutura, avançando nos projetos, com construções em quase todas as cidades do DF. Dentre as obras, citou: túnel de Taguatinga; viadutos do Riacho Fundo 1, 2 e Recanto das Emas, Paranoá, Sudoeste e, em fase final, o viaduto da Escola de Administração Fazendária (Esaf), além das obras na segunda entrada de Sobradinho. “

 

“Conseguimos avançar no balcão de projetos”, disse, reforçando que há projetos disponíveis na Novacap, na Secretaria de Obras e no Departamento de Estradas e Rodagens.  O candidato citou ainda a revitalização da cidade, com as reformas das Tesourinhas do Plano Piloto, da Ponte Costa e Silva e projetos para a Ponte JK e a Ponte das Garças, em parceria com o setor produtivo do DF.

 

Reconhecimento — Ao falar do segmento de obras públicas, o candidato à reeleição garantiu que não há obras paralisadas no DF, apesar das dificuldades com a falta de materiais e o aumento dos preços de insumos. “O governo está trabalhando em um grande processo de renegociação dos contratos na Procuradoria do DF para o realinhamento de preços em virtude do aumento dos custos da construção”, disse.

 

Quanto ao segmento da incorporação imobiliária, ao reconhecer o apoio do setor na pandemia, Ibaneis informou que houve aumento no número de lançamentos no Setor Noroeste e na Quadra 500 do Setor Sudoeste. Citou que a criação do Alvará de Sete Dias para obras com menos de 1000 m2, que tirou a sobrecarga de serviço e empoderou o cidadão para avançar com a aprovação dos seus projetos.

 

“Precisamos avançar, sem dúvida. Os avanços são necessários. A desburocratização se faz necessária, assim como ter um ambiente melhor de negócio para gerar segurança jurídica”, frisou o candidato, destacando que confia no setor empresarial do DF e no setor da construção civil, um dos que mais emprega e traz tributos para a cidade.

 

No ambiente Legislativo, destacou que sancionou a Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS) e que pretende renovar a LUOS para ter uma legislação capaz de atender as necessidades da cidade e informou que assim que receber o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) dará o correto encaminhamento à Câmara Legislativa.

 

Meio Ambiente — Em resposta à pergunta do presidente do Sinduscon-DF, Dionyzio Klavdianos, sobre transbordo de resíduos sólidos, o candidato Ibaneis Rocha informou que há um projeto para a contratação de esteiras para triturar os resíduos da construção, com aproveitamento deles em obras públicas, áreas rurais e melhoramento de vias.

 

No que diz respeito ao IPTU Verde, disse que prefere a redução do tributo de forma geral para ter uma tributação mais justa em todos os empreendimentos da cidade e não apenas nos sustentáveis.

 

Ocupação ilegal no DF — Questionado pelo presidente da Ademi DF, Eduardo Aroeira, sobre a questão da ocupação ilegal no DF, Ibaneis Rocha disse que avançou nas obras do Setor Noroeste e tem condições de consolidá-lo como bairro mais estruturado na cidade.

 

Quanto à Floresta Nacional de Brasília (FLONA), que atualmente conta com 46 mil famílias, mencionou que a solução foi a regularização, com a retirada de 40% da floresta nacional, que já não existia, e vai fazer os projetos ambientais para regularizar e criar infraestrutura.

 

Obras Públicas — Se reeleito, Ibaneis Rocha disse ao presidente da Asbraco, Afonso Assad, que o GDF tem em torno de R$ 9 bilhões para investimento em obras no DF, devido ao excesso de arrecadação e queda na contratação, podendo chegar a R$ 15 bilhões se atingir a Capacidade de Pagamento (Capag) para investir em infraestrutura, escola e hospitais.

 

Também foram abordados assuntos referentes ao Licenciamento Ambiental, no que diz respeito ao Instituto Brasília Ambiental (Ibram); ao projeto “Águas do DF” para drenagem das águas pluviais do DF; a maior celeridade nos processos de ofertas de unidades residenciais, e sobre o relacionamento do GDF com a esfera federal, assim como ao Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF).

 

Perdeu a sabatina? Ainda é possível assisti-la nos canais oficiais do Sinduscon-DF e da Ademi DF no YouTube.

https://youtu.be/jajmA1TwC4A

Sandra Bezerra
Assessoria de Comunicação do Sinducon-DF, Ademi DF e Asbraco

READ MORE

Reunião de Diretoria.”

 REUNIÃO DE DIRETORIA

Sua participação faz toda a diferença, fiquem atentos aos seus diretos e deveres como associados.

✅Sua participação é a sua voz!

Por que preciso para participar?

✔️ Tirar dúvidas sobre futuro da construção civil no DF;

✔️ No dia da reunião optar por uma das modalidades | Presencial ou Online.

Lembrando que devido a COVID, a forma Online é a mais segura.

🗓️ 27 DE JULHO DE 2022
⏰ 08:30h ÀS 12:00h
FORMATO MISTO
Entrar na reunião Zoom

READ MORE

Inflação da construção civil desacelera para 1,65% em junho.

Inflação da construção civil desacelera para 1,65% em junho

O custo nacional da construção por metro quadrado foi de R$ 1.628,25, sendo R$ 974,47 relativos aos materiais e 653,78 à mão de obra

 

 

 

 

A inflação medida pelo Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 1,65% em junho, após alta de 2,17% em maio, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o indicador acumula variação de 14,53% em 12 meses, frente a 15,44% até maio.

O custo nacional da construção por metro quadrado foi de R$ 1.628,25, sendo R$ 974,47 relativos aos materiais e 653,78 à mão de obra. Em maio, esse custo totalizava R$ 1.601,76, sendo R$ 962,98 relativos aos materiais e R$ 638,78 à mão de obra.

Também em junho, a parcela dos materiais foi de 1,19%, registrando desaceleração em relação ao mês imediatamente anterior (1,96%) e, também, frente ao índice de junho de 2021 (2,36%).

Já a mão de obra registrou alta de 2,35% em maio, caindo 0,14 ponto percentual em relação ao mês imediatamente anterior (2,49%), “apesar dos acordos coletivos firmados neste período”, detalhou o IBGE, em comunicado sobre o indicador. Frente a junho de 2021 (2,60%), houve queda de 0,25 ponto percentual.

Com isso, a inflação na construção civil medida pelo indicador, no primeiro semestre do ano ficou com alta de 7,08% em materiais; e expansão de 8,17% em preços de mão de obra. Os acumulados em doze meses ficaram em 17,53%, em materiais, e 10,32% em mão de obra.

Publicado originalmente no Valor PRO

 

 

READ MORE

BRB prorroga Avança-DF até fim de agosto.

O Avança-DF foi a terceira iniciativa lançada pelo BRB para minimizar os impactos financeiros decorrentes da Covid-19. Em 2020, o banco revelou-se a primeira instituição financeira do país a lançar um programa — o Supera-DF — liberando recursos para novos financiamentos e permitindo aos clientes que pausassem, até 90 dias, empréstimos adimplentes contraídos antes da pandemia. Um ano depois, em 2021, o BRB colocou em funcionamento o Acredita.

BRB prorroga Avança-DF até fim de agosto e segue com taxas especiais.

Informações: http://avancadf.brb.com.br/

READ MORE

Inflação da construção civil sobe para 0,87% em abril.

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,87% em abril deste ano. A taxa é superior ao índice 0,73% de março, mas ficou abaixo do 0,95% de abril de 2021.
Com isso, o INCC-M acumula taxas de inflação de 2,74% no ano e de 11,54% em 12 meses, de acordo com os dados divulgados hoje (26).
A alta da taxa de março para abril foi puxada pelos materiais e equipamentos, cuja taxa de inflação passou de 0,29% para 1,35% no período.
Por outro lado, os serviços e mão de obra tiveram queda na taxa. Os serviços passaram de 0,79% para 0,73%, enquanto a mão de obra recuou de 1,12% para 0,46%.

 Fonte : FGV

READ MORE

Secretário André Clemente e Setor Produtivo do Df se reuniram para Fórum Econômico.”

Secretário André Clemente e Setor Produtivo do Df se reuniram para Fórum Econômico.”
.
.
“A Economia Pós-Pandemia.”🚧🤝🦠📊📈📉🗒.
.
.
.
.

#construcaocivil #construcao #arquitetura #constru #obra #engenhariacivil #engenharia #reforma #projeto #projetos #brasil #casa #asbracodf #ademi#sinduscon #construcaocivil #obrapublica .
Fonte: Secretaria de Economia Distrito Federal.

READ MORE