Skip to Content

Arquivo de categoria: Notícia

Seis empresas farão estudos técnicos para concessão da Rodoviária

Publicada no DODF autorização para que, em até 120 dias, sejam apresentadas propostas de reforma e modernização do terminal até um plano econômico-financeiro

O projeto do GDF de entregar a administração da Rodoviária do Plano Piloto para a iniciativa privada está bem adiantado. Nesta quarta-feira (27), foi publicado no Diário Oficial do DF o termo de autorização para que seis empresas previamente classificadas e credenciadas elaborem a proposta de viabilidade técnica para a concessão do terminal. Elas têm até 120 dias.

Segundo a publicação, a iniciativa não acarreta nenhum custo extra aos cofres públicos, nem mesmo obriga o governo a contratar com as empresas previamente selecionadas para apresentar as soluções.

 

Continua depois da publicidade

 

Conforme a publicação da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), as empresas classificadas deverão apresentar uma proposta completa – que contemple desde projetos de recuperação, manutenção e modernização do terminal até mesmo um plano jurídico e econômico-financeiro para quem assumir o controle do espaço.

Os seis projetos apresentados serão avaliados e selecionados por uma comissão técnica, instituída na Portaria nº 84 de 15 de outubro de 2019, publicada no DODF de 18 de outubro de 2019, nos termos do art. 18 do Decreto 39.613, de 03 de janeiro de 2019.

O melhor estudo será contratado pelo governo. Há previsão de ressarcimento de R$ 3.878.908,57, sendo R$ 2.138.647,13 referentes à fase de Elaboração e R$ 1.740.261,43 para a de apoio ao trabalho de implementação da concessão.

De acordo com o regulamento, a apresentação dos estudos “não gera direito de preferência no processo licitatório do empreendimento e não obriga a administração pública a realizar licitação”.


Empresas autorizadas 

 Associação de Usuários da Rodoviária de Brasília (EAURB) e outros três grupos de empreiteiras associadas como a Central Engenharia  e Construtora, Concrepoxi Engenharia, Construtora Artec, Meta Serviços e Projetos, Relus Engenharia;

 Companhia de participações em concessão e a HP Transportes Coletivos;

 JE Administração de Bens Moveis e Imóveis, Mellycom Serviços em Tecnologia e Telecom, Adsummus Marketing e Serviços;

 RNGD – Consultoria de Negócios, Planex – Consultoria e Planejamento;

√ Socicam Administração, Projetos e Representações

√ GrandPark Informática e Gestão de Estacionamento.

 

Fonte e Imagem: Agência Brasília

Publicidade autorizada pelo BRB

LEIA MAIS

Fórum de Microempresas propõe Planos de Metas para GDF

Sugestões serão levadas ao governo para serem implementadas ao longo dos próximos anos

As ações definidas pelo Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do DF devem compor um Plano de Metas a ser elaborado pela área econômica do governo local para os próximos anos. Entre as iniciativas estão: desoneração das exportações de microempresários, ligação ferroviária Brasília-Goiânia, implantação do anel viário do DF, ampliação da área de cargas do aeroporto de Brasília, reformular a legislação tributária, priorizar os pequenos fornecedores nas compras governamentais, incentivo à inovação das empresas, diversificar a estrutura produtiva e oferta de crédito para renovar o parque tecnológico.

As propostas foram elaboradas pelos seis comitês temáticos e transformadas em decisões finais do Fórum das Microempresas encerrado nesta terça-feira (26). O objetivo é melhorar o ambiente de negócios do DF.  Entre as ações sugeridas para o Plano de Metas estão a criação de uma legislação aduaneira especial para ampliar a capacidade competitiva de pequenos exportadores, combate ao comércio ilegal e concorrência desleal, ampliação da aquisição direta pelo GDF de produtos rurais e de confecções para escolas, hospitais e quartéis.

A revisão do Plano de desenvolvimento Industrial local e a criação de polos de atração de investimento na Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (RIDE) também fazem parte do conjunto de sugestões feitas pelo Fórum das Microempresa. Além das propostas macroeconômicas, o Fórum também sugere que o GDF adote nas escolas a disciplina Educação Empreendedora, além de um mutirão para renegociar as dívidas dos microempresários junto ao fisco local e a recuperação cadastral de quem perdeu o crédito na rede bancária.

O Fórum dos Microempresários indicou coordenadores de cada comitê temático que se reunirá a cada trimestre para acompanhar o andamento, tanto no Executivo quanto na Câmara Legislativa, das ações propostas.

 

fonte e Imagem: SDE/DF

 

LEIA MAIS

Custo da construção sobe 0,15% em novembro

É o que revela pesquisa da Fundação Getúlio Vargas

O Índice Nacional de Custo da Construção–M (INCC-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,15% em novembro. O percentual é superior ao observado em outubro (0,12%). O indicador acumula 3,99% no ano e 4,12% em 12 meses.

A alta da taxa na passagem de outubro para novembro foi puxada pelos serviços, que tiveram deflação (queda de preços) de 0,08% em outubro e passaram para uma inflação de 0,36% em novembro.

Os materiais e equipamentos tiveram queda na taxa, apesar de continuarem com inflação. A taxa recuou de 0,37% em outubro para 0,31% em novembro.

Já a mão de obra manteve-se, em novembro, sem variação de preços como ocorreu em outubro.

 

Continua depois da publicidade

Confiança da construção sobe 1,5 ponto

O Índice de Confiança da Construção, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,5 ponto na passagem de outubro para novembro e chegou a 89 pontos, em uma escala de zero a 200. Esse é o maior patamar atingido pelo indicador desde setembro de 2014, quando a confiança ficou em 89,9 pontos.

A alta do índice é relacionada a uma melhora da situação corrente, já que o Índice de Situação Atual avançou 2,4 pontos, para 81,3 pontos. O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, também subiu, mas de forma mais moderada: 0,5 ponto, passando a 97,0 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade do setor cresceu 0,4 ponto percentual, para 70,5%. Segundo a pesquisadora da FGV, Ana Maria Castelo, a melhora das vendas e os lançamentos imobiliários, principalmente em São Paulo, têm impacto na confiança dos empresários.  Ela também destaca que o acesso ao crédito pelas empresas está sendo fundamental para a retomada do setor.

 

 

Fonte e Imagem Destaque: Agência Brasil

Publicidade autorizada pelo BRB

LEIA MAIS

Audiência Pública – Reforma Tributária Distrital para Indústrias

Data:

27/11/19

Horário:

19:00 – 22:00

Autoria:

Deputado Delmasso

Local:

Auditório da FIBRA, 3º andar | SIA trecho 3, lote 225.

LEIA MAIS

Emprego na indústria da construção alcança maior nível em sete anos

Índice de emprego na construção civil alcançou 49,9 pontos no mês passado e confirma tendência de crescimento do setor

Os indicadores de atividade e de emprego na indústria da construção brasileira alcançaram em outubro o maior nível dos últimos sete anos, revela pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada nesta segunda-feira (25). O Índice de Nível de Atividade alcançou 49,9 pontos no mês passado, semelhante ao registrado no fim de 2012, enquanto o Índice de Número de Empregados ficou em 48,5 pontos, também o mais alto desde outubro de 2012.

 

Continua depois da publicidade

A pesquisa foi feita de 1º a 12 de novembro com 483 indústrias da construção – 167 pequenas, 208 médias e 108 de grande porte.
Segundo a CNI, os indicadores da pesquisa variam de 0 a 100 pontos e, quando estão abaixo de 50 pontos, mostram queda da atividade e do emprego. “Os resultados consolidam a tendência de crescimento do setor”, diz nota da confederação.
A utilização da capacidade operacional ficou em 62%, nível 3 pontos percentuais acima do o registrado há um ano e igual à média histórica do setor. Para a economista da CNI Dea Fioravante, a previsibilidade do setor aumenta em um contexto de inflação controlada e juros baixos. “Contribuindo para que os empresários fiquem mais propensos a investir e assumir riscos.”
Índice de Confiança do Empresário da Construção (Icei-Construção) subiu para 62 pontos neste mês. Com o crescimento de 3,2 pontos em relação a outubro, o indicador está 8,4 pontos acima da média histórica, que é de 53,6 pontos. A confiança do setor aumentou, porque melhorou a percepção dos empresários sobre as condições atuais da economia.
Para os próximos seis meses, todos os indicadores de expectativas ficaram acima da linha divisória dos 50 pontos, mostrando que os empresários esperam o crescimento da atividade, do emprego, da compra de matérias-primas e de novos empreendimentos e serviços nesse período.
A disposição para fazer investimentos melhorou: o índice de intenção de investimentos – compra de máquinas e equipamentos, pesquisa, desenvolvimento e inovação de produto ou processo – aumentou para 37,9 pontos neste mês e está 5,4 pontos acima do registrado há um ano e 4,1 pontos acima da média histórica.

Fonte e Imagem Destaque: Correio Braziliense

Publicidade autorizada pelo BRB

LEIA MAIS

Terracap leiloa 102 lotes para construção de casas e negócios próprios

No edital deste mês, estatal oferece imóveis em locais como Águas Claras, Guará e Park Way. Vendas têm ocorrido mensalmente

Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) vai leiloar, na sexta-feira (29/11), 102 terrenos para a construção de casas e empreendimentos próprios. O edital de licitação dos lotes está disponível no site da autarquia e oferece imóveis em locais como Águas Claras, Guará, Park Way.

 

Continua depois da publicidade

 

 

Qualquer pessoa física ou jurídica pode participar da licitação. No entanto, após visitar e escolher o terreno pelo qual quer concorrer, a pessoa deve preencher a proposta de compra e depositar o pagamento caução até a próxima quinta-feira (28/11), em agências do Banco de Brasília (BRB). Os interessados também devem obedecer a alguns critérios, como o pagamento a partir de 5% de caução, entrada (com abatimento da caução) e o restante em até 15 anos, a depender do imóvel (confira o edital).

Segundo a Terracap, o leilão é a “oportunidade de quem quer investir na compra de um terreno seguro, em áreas regularizadas e com a infraestrutura necessária para implantar um novo negócio ou para morar.” O edital deste mês é o 13º publicado pela Terracap. A autarquia tem promovido os leilões mensalmente.

Com localização a 11 km da Esplanada dos Ministérios, o Guará é um dos locais mais buscados e já conta com 93 lotes vendidos em 2019. Neste edital, as entradas para os imóveis da região custam a partir de R$ 11,2 mil. Já no caso de lotes para implementação de atividades econômicas, de comércio e prestação de serviços na região, a entrada mínima é de R$ 106 mil.

Terrenos em outras regiões administrativas também serão leiloados neste mês de novembro. Ceilândia, Taquari, Paranoá, Recanto das Emas, Riacho Fundo II, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho e Taguatinga são locais com lotes disponíveis no edital.
Licitação de imóveis – Terracap
Data: 29 de novembro (sexta-feira)
Edital: Confira aqui
Fonte e Imagem Destaque: Correio Braziliense
Publicidade autorizada pelo BRB
LEIA MAIS

21ª Enacor em Brasília

Evento: 21° ENACOR – ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA

Data do Evento: 26/11/2019 à 29/11/2019

Inscrição: 30/07/2019 à 20/11/2019

Local: CENTRO DE CONVENÇÕES BRASIL 21 SHS QUADRA 06 – ASA SUL

21º Enacor

A ABDER – Associação Brasileira dos Departamentos Estaduais de Estradas de Rodagem juntamente com a BMComm – Brazilian Media Communications e o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal – DER/DF, estabeleceram parceria para a organização de um dos maiores eventos conjugados envolvendo rodovias, pavimentação, tecnologia, logística multimodal, trânsito e mobilidade do País, que se realizará de 26 a 28/11 + visitas técnicas dia 29 de novembro de 2019, em Brasília/DF.  Saiba Mais…

Fonte e Imagens: Enacor

 

LEIA MAIS

Alta carga tributária segue liderando ranking de problemas da indústria local

A elevada carga tributária, a demanda interna insuficiente, a falta ou o alto custo de matéria-prima e as altas taxas de juros, nessa ordem, foram os problemas mais citados pelos industriais quando questionados sobre os entraves para os negócios no Distrito Federal no terceiro trimestre de 2019.

Segundo a Sondagem Industrial do Distrito Federal, nos três primeiros trimestres do ano, a questão tributária foi a maior preocupação dos empresários do setor. No fim do terceiro trimestre, foi apontada por 57,32% dos entrevistados. Em junho, por 69,77% e, em março, por 66,67%.

Em relação às condições financeiras, a insatisfação e a dificuldade dos empresários diminuíram. O índice de satisfação com a situação financeira da empresa alcançou 46 pontos em outubro – aumento de 3 pontos em comparação ao segundo trimestre. O índice que verifica as dificuldades de acesso ao crédito marcou 43,9 pontos. No trimestre anterior, foi de 39,9 pontos. Índices acima da linha divisória dos 50 pontos indicam otimismo.

Questionados sobre as expectativas para os próximos meses, os industriais se mostraram esperançosos. A expectativa em relação à demanda por produtos, por exemplo, passou de 59,3 pontos em setembro para 64,8 em outubro. O indicador de expectativas de emprego cresceu 3 pontos – alcançou 53,2 pontos.

A intenção de investimentos se elevou pelo segundo mês consecutivo. O índice passou de 36,5 pontos em setembro para 39,1 em outubro. Comparando com o mesmo período no ano passado, o indicador aumentou 7,7 pontos.

Desempenho da indústria

Ao longo de 2019, o índice que mede a produção industrial tem oscilado, o que indica um quadro de ajuste. Os empreendimentos da capital federal estão tomando decisões com base na demanda imediata. A evolução da produção sofreu queda de 2,7 pontos e ficou em 48,2 pontos em setembro. A utilização da capacidade instalada, por sua vez, cresceu 4 pontos percentuais e repetiu o maior resultado do ano, registrado em maio: 68%.

O indicador de evolução do número de empregados continua em queda. Há dez meses, está abaixo dos 50 pontos, mas se estabilizou. Na passagem de agosto para setembro, aumentou 0,6 ponto – de 47,5 para 48,1. O índice abaixo da linha divisória dos 50 pontos sinaliza que as dificuldades de recuperação do mercado de trabalho local permanecem.

A Sondagem Industrial do DF é realizada mensalmente pela Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi do DF (IEL-DF) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os últimos dados foram coletados em outubro.

Fonte e Imagem: Sistema Fibra
LEIA MAIS

Senai-DF e FAP-DF reforçam a inovação e qualificação de mão de obra para o setor produtivo durante reunião de conselheiros regionais

Dois convênios entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP-DF) irão reforçar a inovação e qualificação de mão de obra para o setor produtivo. O objetivo é ampliar o alcance da educação profissional, principalmente nas áreas voltadas à indústria 4.0, e levar às empresas consultorias que aumentem a produtividade, a eficiência e a inovação.

Os convênios são o DF Inova Tech e o DF+, sendo que este se desdobra em três programas: o DF + Produtivo, o DF + Avançado e o DF + Eficiente. Todos já serão executados no começo de 2020.

“Um convênio é focado em educação profissional e o outro em consultoria, tecnologia e inovação. Esses programas vão atender todos os segmentos do setor produtivo e empresas de todos os portes, e de forma totalmente gratuita. A contrapartida da empresa e da sociedade será econômica, com o giro da economia local”, afirmou o diretor regional do Senai-DF, Marco Secco, ao detalhar os programas aos conselheiros do Senai-DF e do Serviço Social da Indústria do DF (Sesi-DF).

A reunião dos conselhos regionais foi realizada na manhã desta última quinta-feira (21), no auditório do Senai Taguatinga, onde também ocorreu o 1º dia de programação do Mundo Senai, exclusivamente voltada a empresas, que se estendeu por toda sexta-feira.

Estiveram presentes nesta reunião o vice presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF) e Conselheiro Fiscal da Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco), Graciomário de Queiroz; 2 Tesoureiro da Asbraco e diretor do Sinduscon/DF, Jorge Luiz Salomão, dentre outros.

Após a reunião, cerca de 30 pessoas – entre membros dos dois conselhos, presidentes de sindicatos filiados à Fibra e diretores da Federação – visitaram o Senai Taguatinga e conheceram o SenaiLab (leia mais abaixo).

Os programas são resultado de uma articulação iniciada pela Federação das Indústrias do DF (Fibra), por meio da Diretoria de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, com a FAP-DF.

DF +

São três programas com objetivo de aumentar a produtividade das empresas. A metodologia é a do Brasil Mais Produtivo, do governo federal, e consiste em intervenções rápidas, de baixo custo e de alto impacto. Esse convênio vai atender até 400 empresas em dois anos. O DF + Produtivo é voltado ao ganho de produtividade. O foco é a redução de desperdícios como atividades sequenciais desnecessárias, estoque excessivo, má utilização do capital humano e tempo de espera em vão. Cada consultoria levará, em média, de três a quatro meses. A meta é que as empresas tenham aumento de no mínimo 20% de produtividade após a intervenção do Senai-DF.

O DF + Produtivo é pré-requisito para o DF + Avançado, que começa a trabalhar a primeira fase da indústria 4.0, com monitoramento de toda a operação em tempo real. Assim como nos outros programas, a adesão é gratuita, porém, nesse caso, há a necessidade do investimento em software e hardware.

Já o DF + Eficiente tem como objeto a eficiência energética. Por meio dessa consultoria, serão feitas a análise e a melhoria do consumo de energia para o funcionamento da empresa.

As empresas interessadas precisam realizar a autoavaliação de maturidade no que diz respeito ao estágio tecnológico e ao que precisa ser feito rumo à transformação digital. Basta acessar o portal senai40.com.br. Feito isso, um consultor do Senai-DF dará um retorno à empresa para confirmar a adesão ao programa ou detalhar os motivos de ela não poder participar. Para mais informações, mande um e-mail para dfmais.senai@sistemafibra.org.br.

DF Inova Tech

É um programa que amplia e diversifica as oportunidades de qualificação profissional para pessoas de baixa renda. Em três anos, serão ofertadas pouco mais de 15 mil vagas gratuitas anuais, totalizando 46,2 mil matrículas.

Esses cursos serão de aperfeiçoamento, de qualificação e técnicos, nos formatos presencial e semipresencial. As áreas contempladas serão Automação e Mecatrônica, Construção Civil, Eletroeletrônica, Energia GTD (geração, transmissão e distribuição de energia), Energias Renováveis, Gráfica e Editorial, Metalmecânica e Tecnologia da Informação.

Entre os cursos oferecidos via DF Inova Tech estarão quatro que serão lançados pelo Senai-DF em 2020: Técnico em Informática para Internet, Técnico em Internet das Coisas, Técnico em Cyber Sistema de Inovação e Técnico em Automação Industrial.

As oportunidades serão divulgadas por meio de editais trimestrais. A previsão é que as aulas dos primeiros cursos do DF Inova Tech comecem em fevereiro. Para mais informações, envie um e-mail para dfinovatech.senai@sistemafibra.org.br.

Senai lab

Visita ao SenaiLab

Os empresários que estiveram no Senai Taguatinga nesta quinta-feira tiveram a oportunidade de conhecer um ambiente de aprendizagem que estimula a economia criativa, a inovação e o conhecimento, com base no conceito “faça você mesmo”. A estrutura do SenaiLab é capaz de atender às 19 áreas do conhecimento oferecidas pelas escolas do Senai-DF.

Instrutores e alunos apresentaram um projeto que está sendo desenvolvido dentro do Desafio Senai de Projetos Integradores, em que alunos de diferentes cursos se reúnem para achar a solução de um problema de determinada empresa. Nesse caso, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) desafiou os jovens a montar um projeto de reutilização da água da chuva, de forma que possa ser aproveitada no tempo seco para, por exemplo, lavar o carro ou limpar a casa.

Os jovens que apresentaram o projeto são alunos do Novo Ensino Médio do Sesi e cumprem o itinerário formativo profissional no Senai. Os estudantes usaram um software capaz de automatizar sistemas inteligentes. Com o uso dessa ferramenta, sensores programados pelos próprios alunos fazem com que a água da chuva seja reutilizada e jorre automaticamente em um jardim ou reservatório, por exemplo.

“Estou encantado com o que foi apresentado aqui hoje. Eles envolveram tudo que conhecemos sobre inovação e com criatividade. Com ajuda da tecnologia e foco na sustentabilidade, ficou melhor ainda”, elogiou o presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal, Jamal Jorge Bittar.

Mundo Senai dia 1

Foto Destaque: Acervo Sinduscon/DF
Fotos do corpo da matéria: Moacir Evangelista/Sistema Fibra

LEIA MAIS

Crédito Imobiliário BRB

Aproveite os descontos imperdíveis do BRB!

Além de um valor super especial, o BRB ainda te dá um descontão na taxa de financiamento imobiliário.

SAIBA MAIS NO SITE DO BRB

LEIA MAIS