Skip to Content

Category Archives: Notícia

Adote uma Praça: corredor de cultura no coração de Brasília

CNI vai transformar área entre o Museu da República e o edifício Touring, no âmbito do programa coordenado pela Secretaria de Projetos Especiais

Dois espaços na Esplanada dos Ministérios serão revitalizados dentro do programa Adote uma Praça, coordenado pela Secretaria de Projetos Especiais (Sepe). A passagem de pedestre e a área entre o Museu da República e o edifício do antigo Touring vão se transformar em eixo cultural.

A proposta de adoção é da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que busca modernizar o acesso às informações relacionadas à inovação, à ciência e à tecnologia por meio da arte. “Nós vamos resgatar uma região icônica e que também é destino turístico. E que, no momento, está deteriorada e serve à marginalidade e não ao cidadão”, explica o diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi.

“Quem ganha com esse projeto é a cidade, o cidadão e o GDF, que terá uma redução de custos. Porque quem vai cuidar do local, da limpeza e da jardinagem, entre outros, é o adotante”Roberto Andrade, secretário de Projetos Especiais

“A ideia da CNI é criar um espaço que vai além de uma passagem pública, mas uma área multiuso e interativa. Essa é a maior proposta que já recebemos dentro do Adote [uma Praça], até hoje”, reforça o secretário de Projetos Especiais, Roberto Andrade.

A Esplanada Cultural, nome dado pela CNI, será um espaço democrático de aprendizagem e vai ampliar a oferta de atividades culturais e educativas no Distrito Federal. Além disso, haverá uma integração entre aqueles que vão usar o túnel apenas como passagem.

Ainda segundo o diretor, a Esplanada Cultural também vai contar com estrutura para auditórios, eventos, exibição de filmes, palestras, exposições e até pequenos shows. “Teremos também um museu em parceria com o Exploratorium, localizado em São Francisco [EUA], referência mundial em museu moderno e interativo. Ensina por meio de brincadeiras”, acrescenta Rafael Lucchesi.

A obra

De acordo com a CNI, a intervenção no túnel vai transcorrer juntamente com a obra civil de restauro e modernização das instalações do edifício Touring, com duração estimada em 15 meses. A inauguração dos espaços está prevista para abril de 2022. A instituição se propõe a usar, manter e cuidar do local por um período de quatro anos, com possibilidade de prorrogação desta parceria.

“Quem ganha com esse projeto é a cidade, o cidadão e o GDF, que terá uma redução de custos. Porque quem vai cuidar do local, da limpeza e da jardinagem, entre outros, é o adotante”, finaliza o titular da Sepe, Roberto Andrade.

 

Fonte e Imagem: Agência Brasília com informações da Secretaria de Projetos Especiais

READ MORE

Canal de atendimento para reequilíbrio de contratos já está disponível no aplicativo da CBIC

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) criou um canal de atendimento exclusivo para todas as empresas que enfrentam problemas com contratos ou pedidos de materiais, em função do prazo de entrega. O canal de intermediação sobre desabastecimento de materiais já está no ar e pode ser acessado exclusivamente pelo aplicativo da entidade, disponível para download na Apple Store e no Google Play. Não perca a oportunidade e baixe o seu!

O Quintas da CBIC desta semana (15) abordou o tema ‘Materiais: desabastecimento e reequilíbrio de contratos’onde especialistas explicaram como a entidade pode ajudar com essa demanda. A conversa foi ancorada pelo presidente da CBIC, José Carlos Martins, que destacou que o desabastecimento de materiais impactou de uma série de formas no setor da construção. “Os impactos vieram em todas as esferas, por isso realizamos uma pesquisa com a base para entender quais eram os efeitos reais dessa situação”, disse.

Martins explicou que a partir da pesquisa, foi enviada uma carta à Secretaria Especial da Concorrência para entender as origens do aumento, o que provocou uma série de reações dos players envolvidos. “Isso gerou um diálogo mais direto com as empresas, levando ao esclarecimento de muitos casos. E o canal servirá para ajudar aqueles que continuam com problemas, de forma que a gente possa intermediar e buscar as melhores soluções Além disso, como resultado das nossas medidas impedimos  mais aumentos e o tema entrou na pauta do governo e da mídia, dada a importância do assunto que está custando tão caro para o setor”, reforçou.

Dionyzio Klavdianos, presidente da comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (Comat) da CBIC, lembrou que em um passado recente o setor nunca passou por uma situação parecida, de desabastecimento e aumento generalizado dos insumos, mas que com as medidas adotadas pela entidade o resultado a médio e longo prazo será muito benéfico para o setor. “Vamos ganhar muito no médio prazo por conta dessa união da cadeia encabeçada pela CBIC, onde uma série de ações foram tomadas e já com resultados efetivos. Em uma reunião com as siderúrgicas, por exemplo, elas disseram que estão tentando minimizar os danos o mais rápido possível e estão trabalhando em plena capacidade para retomar o estoque em um nível aceitável e que atenda as demandas da construção”, frisou.

Klavdianos abordou a questão das cooperativas, tema recorrente e que está na agenda prioritária da CBIC hoje. “Vamos replicar a bem sucedida experiência do Ceará com cooperativas de compras para todo Brasil, realizando o planejamento estratégico para atender o setor. Essa é uma questão da cadeia produtiva, as empresas podem utilizar o inesperado da ocorrência para se juntarem através das cooperativas de compras e sindicatos e transformarem a aquisição de materiais e serviços numa questão política a cargo do dono da construtora”, explicou.

O presidente da CBIC informou que em dezembro pretende lançar todas as bases para viabilizar cooperativas durante o 92º ENIC. “Nos propomos a organizar essa demanda juntando as empresas, o que pode ser feita de maneira regionalizada, ou no futuro, nacionalmente. Essa organização vai funcionar como poder de compra e atuação institucional, ou seja, vamos criar força para trabalhar na oferta de produtos e ter um mercado saudável”, afirmou Martins.

Para trazer uma experiência internacional sobre importação, Antonio Carlos Rosset, diretor comercial da Leeco Trading, empresa do setor de aço americano, apresentou um panorama da atuação da Leeco nos mercados externos. Segundo Rosset, a coordenação da CBIC é fundamental para o sucesso e efetividade dessa ação. “A CBIC coordenando tudo nacionalmente é essencial, pois ficaria impossível fazer essa importação sem a mobilização da entidade. Vejo aspectos positivos porque só a CBIC consegue mobilizar todas as associadas num objetivo comum”.

Questionado sobre quais seriam os entraves para viabilização do processo de importação, Rosset destacou dois pontos. “Os maiores entraves são montar a estrutura logística de trandings para viabilizar a importação dos produtos, e a questão da dolarização que é feita pelas indústrias brasileiras”, alertou.

Já Carlos Eduardo Lima Jorge, presidente da comissão de Infraestrutura (Coinfra), explicou qual caminho que as empresas devem seguir para o pleito do reequilíbrio de contratos. “A CBIC disponibilizou todo material jurídico para as empresas solicitarem o reequilíbrio econômico-financeiro em função do aumento dos materiais. Sabemos que vamos passar por uma avalanche de reequilíbrios no setor de obras públicas, por isso recomendamos que as empresas sigam esse material recomendado pela CBIC e que as entidades regionais assumam um papel de protagonismo para facilitar esse processo nos seus estados”, concluiu.

Quintas da CBIC

O ‘Quintas da CBIC’ é uma série especial de webinars e recebe convidados diferentes a cada quinta-feira, para tratar sobre assuntos de interesse da indústria da construção.

O evento tem interface com os projetos ‘Melhoria da Competitividade e da Segurança Jurídica para Ampliação de Mercado na Infraestrutura’, da Comissão de Infraestrutura (Coinfra) e da Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (Comat) da CBIC, em correalização com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

 

 

Fonte e Imagem: CBIC

READ MORE

Prazo de inscrição para o EAD de Ética e Compliance na Construção termina HOJE

A Câmara Brasileia da Indústria da Construção (CBIC) encontrou uma forma simples e prática de disseminar um conhecimento que tem sido cada vez mais exigido das empresas: o curso EAD de Ética e Compliance na Construção. As inscrições terminam hoje (16).

Ter um programa de compliance já se tornou obrigatório para as empresas participarem de licitações públicas em alguns estados e no Distrito Federal. Agora, cada vez mais, essa será também uma exigência nos processos de contratação do setor privado.

“Ainda que a gente entenda que esse seja um momento desafiador para as empresas, que estão encolhidas e com desafios de receita e de equipe, essa pauta se tornou ainda mais urgente para a sociedade e cada vez mais as empresas serão cobradas por terem as suas áreas de ética e compliance, por terem transparência na comunicação e no relacionamento com todos os seus públicos”, afirma a vice-presidente da área de Responsabilidade Social da CBIC, Ana Claudia Gomes.

Com um valor bem abaixo de mercado (R$ 250 para associados, R$ 350 para o público em geral), o curso tem a duração de 40 horas, que podem ser cumpridas até o dia 4/12.

“É preciso iniciar essa jornada logo e esse trabalho da CBIC prepara os profissionais da empresa para estruturar da forma mais simplificada possível um departamento/setor de ética e compliance nas empresas”, completa Gomes.

O curso é composto por seis módulos, com o seguinte conteúdo programático:

  • Módulo 1 – Legislação anticorrupção e legislação de concorrência leal;
  • Módulo 2 – Programa de integridade, governança e suporte da alta direção;
  • Módulo 3 – Avaliação de Riscos, Código de conduta e Manual de integridade;
  • Módulo 4 – Controles internos, comunicação e treinamento;
  • Módulo 5 – Canal de Ouvidoria, Investigação Interna e Comitê de Ética;
  • Módulo 6 – Verificação de integridade de terceiros, monitoramento e auditoria.

Garanta já o seu lugar!

A iniciativa integra o projeto ‘Responsabilidade Social: EAD de Ética e Compliance na Construção: transformando valores em ações’ realizado pela CBIC, com a correalização do Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional).

 

Fonte e Imagem: CBIC

READ MORE

Debate sobre Lei Geral de Licenciamento Ambiental chega ao Centro-Oeste

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional) realizam na próxima terça-feira (20), às 17h, via transmissão online, mais um webinar do ‘Ciclo de Debates Regionais sobre a Nova Lei Geral do Licenciamento Ambiental’. O foco desta edição será a Região Centro-Oeste e o objetivo é apresentar o andamento da nova Lei, as expectativas para aprovação e os pontos de interesse do setor da construção.

Com a participação de empresários da indústria da construção e especialistas sobre o tema, o evento visa demonstrar o apoio do setor ao projeto.

“Com o projeto de lei o licenciamento ambiental terá simplificação, uniformização de exigências, aumento de segurança jurídica e, consequentemente, auxiliará no desenvolvimento sustentável do nosso país”, frisa o presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA) da CBIC, Nilson Sarti.

A região Centro-Oeste é a segunda a receber o webinar, que já passou pelo Sul, com a participação virtual de especialistas, representantes da administração pública, parlamentares e empresários do setor da região Sul.

Inscreva-se e garanta sua vaga!

A iniciativa tem interface com o projeto ‘Melhorias do Mercado Imobiliário’ realizado pela CBIC, por meio das Comissões da Indústria Imobiliária (CII), de Habitação de Interesse Social (CHIS) e de Meio Ambiente (CMA), com a correalização do Serviço Nacional da Indústria (Senai).

 

Fonte e Imagem: CBIC

READ MORE

SPPI e BID oferecem curso gratuito sobre estruturação de PPPs

A Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (SPPI), em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e com apoio da Caixa Econômica Federal e do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), está oferecendo o curso ‘PPP para o Desenvolvimento 2.0: Implementando Soluções no Brasil, América Latina e Caribe’.

O objetivo é capacitar servidores e colaboradores do governo federal, estados, municípios, consórcios intermunicipais, Caixa e BNDES que atuam diretamente na preparação, apoio, estruturação e acompanhamento de Parcerias Público-Privadas (PPP).

O curso se realizará em formato Massive Open Online Course (MOOC) na plataforma de educação à distância do BID (IDBx). Disponível em português, terá início em 3 de novembro de 2020 e duração de seis semanas.

Infraestrutura, saúde, educação

No curso, serão compartilhadas experiências de instituições internacionais com a finalidade de ajudar a reduzir lacunas de conhecimento na utilização efetiva das PPPs, oferecendo ideias, soluções e lições aprendidas para lidar com os desafios ou restrições às capacidades técnicas e administrativas do setor público da região.

As lições se aplicam a diferentes setores como infraestrutura, saúde, educação, banda larga e setor fiscal, levando em conta contextos nacionais de vários países da região, incluindo Brasil, Peru, México e Colômbia.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até 30 de outubro.

O curso será considerado pré-requisito para capacitação que será disponibilizada pelo BID, em parceria com a SPPI/ME, a ser realizada no primeiro semestre de 2021, que abordará a adoção de PPPs a partir da realidade institucional brasileira.

Dúvidas podem ser encaminhadas pelo email institucional: capacitacaoppi@economia.gov.br.

Veja folder sobre o curso.

 

 

Fonte e Imagem: CBIC

READ MORE

15ª edição do ADIT Invest acontecerá nos dias 10 e 11 de novembro

Em sua 15ª edição, o ADIT Invest acontece no centro financeiro do Brasil: São Paulo, nos dias 10 e 11 de novembro de 2020, com apoio institucional da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Em uma versão inédita e híbrida, o Seminário sobre Investimentos Imobiliários terá uma programação presencial e online.

Garanta sua inscrição: adit.com.br/evento/adit-invest/

Durante sua trajetória, o Invest já impactou mais de 4 mil pessoas de todas as regiões do Brasil, apresentando soluções de captação de recursos para o desenvolvimento de projetos no setor imobiliário. Muito mais do que um evento corporativo, é uma experiência imperdível de conexão entre o mercado de capitais às pequenas e médias empresas.

No palco – e nos corredores, os principais players do país vão oferecer um conteúdo rico e reflexões sobre o cenário econômico brasileiro: oportunidades de investimentos, fontes de financiamento, novas tecnologias, governança, fundos imobiliários e muito mais. Tal pluralidade proporciona aos participantes um ambiente propício para encontrar a melhor estratégia de funding para o seu negócio.

O evento visa como público-alvo construtoras, incorporadoras, loteadoras, fundos de investimentos e private equity, instituições financeiras, investidores, proprietários de terrenos, consultorias, entre outros.

COMPLAM

Já o COMPLAN é o principal Seminário sobre Comunidades Planejadas, Loteamentos e Desenvolvimento Urbano do Brasil. Em 2021, sua 10ª edição acontece nos dias 04, 05 e 06 de fevereiro, no Novotel Itu Golf & Resort, em Itu (SP).

O evento está mais fortalecido do que nunca, já tendo impactado mais de 3 mil profissionais ao longo dos anos, sempre com o compromisso essencial de debater os desafios de grandes projetos urbanísticos, bairros e comunidades planejadas, loteamentos e condomínios.

Focado em apresentar cases de sucesso e debater temas de vanguarda, o compromisso do evento é gerar reflexões sobre os mais diferentes aspectos das cidades, sempre buscando os princípios do Novo Urbanismo e contribuindo com projetos pelo país inteiro.

Inscreva-se: adit.com.br/evento/complan/

Fonte e Imagem: CBIC

READ MORE

Noroeste segue com mais melhorias

Pavimentação, sinalização e drenagem são os próximos benefícios. Terracap publicou licitação para contratar empresa

Ao percorrer o Noroeste, as pessoas têm se deparado com canteiros de obras distribuídos em diversos pontos da região. São benefícios obtidos por meio de recursos investidos pela Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) destinados à implantação de infraestrutura no setor habitacional. E a lista só aumenta.

Agora, mais um item fará parte desse conjunto: a execução de pavimentação, sinalização e drenagem de estacionamentos públicos. Nas projeções G e H da SQNW 102, serão executados os três serviços, enquanto a Projeção I da SQNW 104 receberá pavimentação.

Os projetos serão colocados em prática a partir da contratação de uma empresa responsável pelos serviços, de acordo com edital de licitação publicado pela Terracap no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) da última quinta-feira (8).

Estacionamento e pisos

No caso dos novos estacionamentos, o piso será composto por pavimento intertravado – tipo de piso feito com blocos de concreto pré-fabricados, assentados sobre camada de areia e travados por contenção lateral e atrito entre as peças; o formato final lembra um quebra-cabeças.

“A vantagem da utilização desse material é a segurança que ele fornece, visto que não desloca, rotaciona ou translaciona com facilidade”, explica o diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço Filho.

Para proporcionar maior durabilidade ao calçamento, é necessário aderir ao método de drenagem. A ação evita a umidificação do solo ao efetuar escoamento de água utilizando canos, valas, túneis e fossos.

Quanto à sinalização, foram dimensionadas 28 vagas aos estacionamentos. Desse total, oito serão atribuídas ao uso exclusivo – quatro para idosos e a outra metade para portadores de necessidades especiais.

Demarcação horizontal e vertical

Outra demanda para o projeto são as demarcações horizontal e vertical. A primeira visa informar melhor as pessoas e organizar o fluxo da via. Para dar mais eficiência e clareza à mensagem, são utilizadas quatro cores na pintura. Cada uma delas possui uma finalidade.

A cor amarela demarca obstáculos e fluxos de sentidos opostos e espaços proibidos. Já a branca é utilizada para fluxos de mesmo sentido e faixas de pedestres. A vermelha, por sua vez, demarca ciclovias, ciclofaixas e símbolos de farmácias e hospitais. A azul é usada para pontuar locais de embarque e desembarque de pessoas com deficiência física (PcDs).

Já a demarcação vertical é composta pela fixação de placas com símbolos e legendas, que transmitem avisos com objetivos específicos – caso das placas que alertam para o motorista parar e das que indicam a velocidade da via.​

 

 

Fonte e Imagem: Agência Brasília com informações da Terracap

READ MORE

Mais 21 lotes liberados para o Setor de Embaixadas Norte

Terracap vai contratar empresa para elaborar projetos de complementação da drenagem pluvial e pavimentação. Obras serão executadas pela União

Brasília vai ganhar uma segunda etapa do Setor de Embaixadas Norte (SEN), com mais 21 unidades habitacionais destinadas à construção de sedes para representações diplomáticas de outros países. A expansão totalizará 593.723,53 m². O SEN, que ainda tem muitos terrenos vazios, ganhará também uma praça e um parque rodeado de ciclovias. Os lotes foram doados à União, e cabe ao governo federal dar destinação aos imóveis e executar as obras. O GDF também vai colaborar com o processo.

Para tanto, a  Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) publicou no Diário Oficial do DF, na semana passada, um aviso de abertura de licitação para contratar uma empresa encarregada de elaborar os projetos básicos e executivos que complementem a drenagem pluvial e pavimentação locais. A concorrência ocorrerá no próximo dia 23. Os interessados deverão comparecer à Terracap às 10h para a abertura das propostas. Ganha quem oferecer o menor preço.

Mais espaço

O projeto de pavimentação e de drenagem, bem como os de abastecimento de energia e de água e esgotamento sanitário, visa atender à condição estabelecida pelo Instituto Brasília Ambiental para obtenção de Licença de Implantação, que permite o início das obras. O projeto de energia está sendo elaborado por servidores da própria Terracap, e o de água e esgoto, pela Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb). Ambos têm a expectativa de conclusão em 90 dias.

Segundo a Terracap, além de atender a uma demanda dos comandos da Marinha do Brasil e da Aeronáutica – que, por determinação do governo federal, deverão desocupar os edifícios em que estão situados, na Esplanada dos Ministérios –, os novos terrenos vão ampliar o espaço para embaixadas na capital federal. “Isso significa a retomada da urbanização da Asa Norte, dando mais espaço às representações diplomáticas para apresentar ao brasiliense suas culturas”, destaca o diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço Filho.

Arte: Divulgação
Também estão previstas, na área demarcada, uma praça e um parque com ciclovias | Arte: Divulgação

Parque Internacional da Paz

Em 2017, o GDF assinou decreto que aprovou o projeto urbanístico de parcelamento para a segunda etapa do SEN. São 21 novos lotes, 18 de uso institucional/prestação de serviços — destinados a embaixadas e outros órgãos — e três com uso comercial de bens e serviços/prestação de serviços/institucional. Os terrenos das embaixadas terão cerca de 20 mil m² cada um.

A segunda etapa do Setor de Embaixadas Norte ganhará a Praça e o Parque Urbano Internacional da Paz. O parque, de 65,3 mil m², será rodeado por uma ciclovia. Na área interna, haverá uma bacia de contenção para águas pluviais e um espaço dedicado a esculturas. A proposta é que o local seja criado com a cooperação das embaixadas.

O projeto também trata da acessibilidade e pontua a necessidade de construção de plataformas elevadas nas entradas e saídas de veículos e nos bolsões de estacionamento, a fim de criar um nível contínuo das calçadas para facilitar a circulação de pedestres.

Fonte e Imagem: Agência Brasília
READ MORE

Junta Comercial do DF cada vez menos burocrática

Com investimento de R$ 19 milhões, sistema digital da Jucis-DF será modernizado, de modo a facilitar e agilizar serviços

O sistema digital da Junta Comercial, Industrial e de Serviços do Distrito Federal (Jucis-DF) será modernizado ainda neste ano. No âmbito do projeto Empreendedor Digital, uma parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional) e nove juntas comerciais vai permitir que cerca de 460 mil empresários tenham mais facilidade e agilidade na hora de abrir, alterar ou fechar empresas, por exemplo. O investimento será de R$ 19 milhões, de acordo com convênio publicado no Diário Oficial do DF (DODF).

460 mil empresários serão beneficiados com o projeto Empreendedor Digital

Segundo o presidente da Jucis-DF, Walid Sariedine, a capital será a primeira a receber o projeto, efeito dos resultados positivos apresentados pelo órgão, como a digitalização de 100% dos serviços administrativos. “Além de facilitar a vida dos empresários, continuaremos sendo referência, pois receberemos os serviços primeiro. Graças às cobranças do governador Ibaneis Rocha, apoio do governo local e dos frutos que estamos colhendo foi possível trazer essa conquista para o DF”, destaca Walid.

“Com um banco de dados rico é possível ajudar e orientar os usuários na hora de abrir um negócio”Walid Sariedine, presidente da Jucis-DF

A tecnologia vai melhorar o sistema público de integração e registro mercantil – ambiente digital responsável por abertura, alteração e baixa de empreendimentos; por inscrições tributárias, representadas pela Secretaria de Economia e pela Receita Federal do Brasil; e pela análise de viabilidade e licenciamento de empresas.

“No DF uma empresa de baixo risco é aberta em 24 horas. E nós estamos avançando, ainda mais, para garantir um ambiente cada vez mais favorável ao empreendedorismo”Rose Rainha, diretora técnica do Sebrae

“O projeto Empreendedor Digital também é uma forma de gerar mais políticas públicas, pois teremos mais informações sobre o setor empresarial. Com um banco de dados rico é possível ajudar e orientar os usuários na hora de abrir um negócio”, observa Walid Sariedine.

Emprego e renda

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Rose Rainha: “Temos registros de empresas no passado que levaram mais de 150 dias para serem abertas. Hoje essa realidade mudou”| Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Diretora técnica do Sebrae, Rose Rainha ressalta a importância da desburocratização para estimular novos negócios. “Temos registros de empresas no passado que levaram mais de 150 dias para serem abertas. Hoje essa realidade mudou. No DF uma empresa de baixo risco é aberta em 24 horas e nós estamos avançando, ainda mais, para garantir um ambiente cada vez mais favorável ao empreendedorismo, fomentando o emprego e renda na nossa capital”, reforça.

Presidente do Conselho Regional de Contabilidade do DF, o empresário Daniel Fernandes afirma que, quanto menos burocracia, mais a cidade se desenvolve. “O próprio dono de negócio se sente mais seguro em um local que cresce economicamente. Essa aceleração de processos é um grande avanço para o DF, pois o que os empresários mais querem é agilidade”, salienta.

Empresária no ramo da contabilidade há 22 anos, Jaqueline Torres (47) elogia a parceria do governo local com o Sebrae e outras juntas comerciais. “A tecnologia, principalmente por causa da pandemia do novo coronavírus, tem facilitado a vida do empresário. Já percebemos o quanto os serviços melhoraram após a digitalização da Junta [Comercial do DF]. Com essa iniciativa facilitará ainda mais os procedimentos”, vislumbra.

Fonte e Imagens: Agência Brasília

READ MORE

Hmib reformado e aprimorado

Secretaria de Saúde investiu R$ 3 milhões para melhorar infraestrutura e atendimento na unidade

Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) está de cara nova, resultado do investimento de R$ 3 milhões que a Secretaria de Saúde (SES) fez para revitalizar o prédio e manter o hospital como referência no atendimento pediátrico e ginecológico. Hoje (10), o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, conferiu de perto o resultado dos investimentos na unidade.

O prédio ganhou pintura e iluminação novas. A entrada principal e a recepção da Emergência Pediátrica foram revitalizadas. Mudaram também as janelas e as redes elétrica e hidráulica do espaço onde funcionava o complexo regulador, a gestão de leitos e o Núcleo de Internação e Alta (NIA).

No Centro Obstétrico e na Neonatologia foram instalados refrigeradores de ar. Durante sete anos esses espaços funcionaram sem ar-condicionado. Os pacientes e seus parentes agradeceram. “Faz muita diferença, melhora a qualidade do serviço, ainda mais nesse calor”, elogiou Maria de Jesus Nascimento, 31 anos, mãe de uma menina nascida há poucos dias no Hmib.

Com a reforma, o Centro Obstétrico ganhou uma Sala de Classificação de Risco. O espaço é refrigerado e conta com câmeras de vigilância. É ali, em um ambiente confortável e seguro, que agora pacientes grávidas vão aguardar pelas consultas.

A diretora do Hmib, Marina da Silveira, mostrou também ao secretário as novas estações de trabalho dos servidores. Antes, esses espaços eram insalubres e subutilizados. Agora, contam com baias refrigeradas e adaptadas para receber aparelhos eletrônicos, como computadores e impressoras. O espaço pode acomodar também médicos de diversas áreas, contribuindo para melhorar a relação entre profissionais da saúde.

Osnei Okumoto, que é farmacêutico de formação, fez questão de visitar os núcleos de farmácia do Hmib. Antes, esses locais não dispunham de espaço suficiente para armazenar o estoque de medicamentos e materiais.

Farmacêutico de formação, Okumoto fez questão de visitar os núcleos de farmácia do Hmib | Foto: Agência Saúde

O problema foi solucionado com a construção de um mezanino e com a readequação das salas para aproveitar melhor o espaço. “Os servidores mais antigos dizem que melhorias como essa nunca tinham sido feitas nas farmácias do Hmib”, conta a diretora do hospital.

O secretário de Saúde gostou do que viu. “Percebemos que há o comprometimento dos profissionais em melhorar o atendimento e o acolhimento dos pacientes, transformando o Hmib em uma casa de prestação de serviços muito eficiente para a população”, elogiou Okumoto.

Por causa da pandemia de Covid-19, o andamento de algumas obras atrasou, prejudicando o cronograma do projeto. Mesmo assim o hospital manteve o ritmo de atendimento e, agora de cara nova, pode melhorar ainda mais os serviços que presta à população, destaca a direção do Hmib.

Rede revitalizada

Além do Hmib, outras unidades da rede pública de saúde do DF já foram modernizadas neste ano. São elas os hospitais regionais de Samambaia (HRSam), Taguatinga (HRT), Gama (HRG), Sobradinho (HRS), da Região Leste (HRL, antigo hospital do Paranoá), Brazlândia (HRBz), Guará (HRGu), Apoio de Brasília (HAB) e São Vicente de Paulo (HSVP).

Foram ainda revitalizadas a Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), a Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências de Saúde (Fepecs), o Complexo Regulador do Distrito Federal (CRDF) e o Parque de Apoio da Secretaria de Saúde, além de galpões da própria secretaria.

A reforma das unidades da rede já estava prevista pelo Governo do Distrito Federal, mas foram antecipadas e aceleradas diante da pandemia. Em março deste ano foram assinados 19 contratos de manutenção preventiva e corretiva de unidades da rede pública.

Fonte e Imagens: Agência Brasília com informações da Secretaria de Saúde

READ MORE